Arquivo da categoria: Cursos

28 a 30/05 – (DF) II COLÓQUIO DE ESTUDOS FEMINISTAS E DE GÊNERO

28 a 30/05 – II COLÓQUIO DE ESTUDOS FEMINISTAS E DE GÊNERO
ArticulAÇÕES e Perspectivas​

 Universidade de Brasília, (UnB – DF)

APRESENTAÇÃO

I’

É com entusiasmo que anunciamos o II Colóquio de Estudos Feministas e de Gênero: ArticulAÇÕES e Perspectivas, a ser realizado na Universidade de Brasília nos dias 28 a 30 de maio  2014. Com o apoio do CFEMEA (Centro Feminista de Estudos e Assessoria) e da Universidade Livre Feminista, o evento objetiva a articulação de um coletivo de professoras e pesquisadoras da região Centro Oeste, determinadas a desafiar a invisibilidade histórica das mulheres como agentes de produção de conhecimento acadêmico e científico.  Seu impacto no mundo acadêmico, entretanto, não negligencia as potencialidades políticas e epistemológicas das nossas articulAÇÕES, que visam disseminar e expandir nossa prática crítica e acadêmica para além dos limites da pesquisa e do ensino. Esperamos que este evento possa contribuir para  o crescimento sempre vigoroso da área dos Estudos Feministas e de Gênero.

  • ORGANIZAÇÃO:
  • Programa de Pós-Graduação em Literatura (PósLIT/IL/UnB)
  • Programa de Pós-Graduação em História (PPGHIS/UnB)
  • Programa de Pós-Graduação em Psicologia Clínica e Cultura (PsiCC/IP/UnB)

INSCRIÇÕES PRORROGADAS

Comunicações livres, pôsteres e propostas de mesas redondas e minicursos até 30/03/2014.

Ouvintes até 30/04/2014.

Veja AQUI os procedimentos de inscrição.

Anúncios

14/02 (SP)- Tecnologias livres, Mulheres autônomas!

Dia 14 de fevereiro, sexta-feira
Tecnologias livres, Mulheres autônomas!
18h30 – Bate-papo sobre Software Livre, segurança na rede e uso político feminista da internet.
Logo na sequência: Oficina Liberte seu Computador – instalação de software livre 😉
+ CERVEJINHA BARATA + MÚSICA BOA (LEVE SEU PENDRIVE OU CD!)
 
“Para nós mulheres é fundamental nos apropriarmos desse tipo de tecnologia. Assim como o feminismo, o software livre possui um potencial emancipatório que pode nos libertar do controle que grandes indústrias tecnológicas exercem sobre nós; deixaremos de ser simplesmente consumidoras de tecnologia para ter controle sobre ela.
 
O software livre é um campo de luta feminista que nos permitirá criar tecnologias justas e igualitárias, que nos incluam em sua linguagem e visibilizem, através delas, o papel das mulheres no mundo tecnológico”. (Liliana Cruz – http://marchamulheres.wordpress.com/2013/10/17/feminismo-e-software-livre/)
De acordo com as últimas estatísticas, apenas 1,5% das pessoas envolvidas no desenvolvimento de software livre são mulheres. Nós da Marcha Mundial das Mulheres achamos que a disputa por um mundo igualitário para mulheres e homens têm a ver diretamente com a construção de outras relações, que sejam feministas, livres, colaborativas e solidárias. 
 
Se você já ouviu falar do software livre, mas não sabe muito bem pra que serve e como funciona, essa é sua chance! Vamos trocar ideias sobre a importância de se utilizar essa tecnologia livre (não proprietária) para o feminismo anti-capitalista! Se você curtir a ideia, a gente instala, junto com você, na hora, o software livre no seu computador!

Quando: sexta-feira, 14 de fevereiro de 2014

18h30 – Início do bate-papo sobre Software Livre, segurança na rede e uso político feminista da internet.
Logo na sequência: Oficina Liberte seu Computador – instalação de software livre 😉
 
+ CERVEJINHA BARATA + MÚSICA BOA (LEVE SEU PENDRIVE OU CD!)

Onde: SOF – Sempreviva Organização Feminista

Rua Ministro Costa e Silva, 36 – Pinheiros – tel. (11) 3819-3876

(esta rua é uma travessa da Mourato Coelho e é paralela à Inácio Pereira da Rocha)

A partir de 20/02 (SP) – Introdução aos Estudos de Gênero – módulo I: corpo, sexualidade e políticas

Introdução aos Estudos de Gênero – módulo I:

corpo, sexualidade e políticas

ATENÇÃO:

– INFORMAÇÕES SUJEITAS A MODIFICAÇÕES. CONSULTE SEMPRE AS ATUALIZAÇÕES DO SITE.
– NÃO É PERMITIDO “ALUNO OUVINTE”.

DADOS DO CURSO

Natureza do curso:

Difusão

Público Alvo:

Professores da rede pública e particular de ensino, comunidade USP e interessados em geral.

Objetivo:

Este primeiro módulo têm por objetivo introduzir algumas noções gerais das teorias de gênero, corpo e sexualidade, problematizando formas de poder e de desigualdade que são socialmente produzidas, e que acabam por tornarem-se referências na configuração das políticas públicas.

Programa:
Carga horária:

30.00h

Vagas:

máximo: 70 alunos
mínimo: 10 alunos

Certificado/Critério de Aprovação:

Serão aprovados aqueles que tiverem presença mínima de 85% da carga horária total do curso e entregarem relatório de participação.

Coordenação:

Profa. Dra. Heloisa Buarque de Almeida, da FFLCH/USP.

Ministrante(s):

Jacqueline Moraes Teixeira e Marisol Marini.

Promoção:

Departamento de Antropologia, da FFLCH/USP.

PERÍODO(S), HORÁRIO(S) E LOCAL DO CURSO/EVENTO

Período de Realização:

20.02 a 08.05.2014

Horário:

Quinta-feira, das 19:00 às 22:00.

Local:

Prédio da Filosofia e Ciências Sociais, Av. Prof. Luciano Gualberto, 315, Cidade Universitária. Sala 24

SORTEIO DE BOLSA

Público Alvo para Sorteio:

Comunidade USP e 3ª idade. Sendo: 1 docente, 3 discente, 2 funcionário, 1 para 3ª idade.

Formulário para sorteio de bolsa: 10 a 13/02/2014 CLIQUE AQUI
Resultado do sorteio: 14/02/2014
ATENÇÃO!

• O sorteio não garante a vaga, devendo a pessoa contemplada (ou seu representante) comparecer no dia de matrícula.
• Veja as regras no link BOLSAS E DESCONTOS.
• Aguarde o link da inscrição na data estipulada.

 

INVESTIMENTO

Valor:

⇒R$ 60,00: Interessados em geral.
⇒R$ 54,00: Graduandos e pós-graduandos da FFLCH.
⇒R$ 30,00: Professores Ativos da Rede Pública, maiores de 60 anos, monitores e estagiários da FFLCH.
⇒Gratuito: Docentes e Funcionários da FFLCH.

Detalhes
• O pagamento à vista, mediante boleto bancário impresso no ato da matrícula.
• Não haverá devolução da taxa após o início do curso.
• O não pagamento do boleto implica no cancelamento da matrícula.

MATRÍCULA

Período de Matrícula (enquanto houver vaga):

14 a 18.02.2014.

Detalhes:

Presencial

Horário: 9:00 às 11:40 e das 13:00 às 16:45.

Local: Serviço de Cultura e Extensão Universitária – sala 126. Prédio da Administração da FFLCH. Rua do Lago, 717, Cidade Universitária, São Paulo, SP.

Documentos necessários: RG, CPF ou carteirinha USP (comunidade USP)

Atenção!

  • A matrícula poderá ser feita pessoalmente ou por procuração simples (CLIQUE AQUI).
  • Não é permitido matrícula por telefone ou e-mail.
  • Não é permitido reservar vagas.
Desistências e reembolsos
Os alunos que desistirem do curso devem imediatamente enviar um e-mail, informando essa desistência, para agenda@usp.br. Considera-se que a data da desistência é a do envio desse e-mail.
* até o início do curso, há reembolso integral do valor pago.
* após o início do curso, não há mais reembolso.

http://sce.fflch.usp.br/node/1648

A partir de 15/05 (SP)- Curso de História das Mulheres na Arte -Escola do Masp

História das Mulheres na Arte
Profa. Gisele Bischoff Gellacic

Doutoranda em História pela PUC-SP, estágio de pesquisa na École des Hautes Études en Sciences Sociales (EHESS) de Paris. Professora do Ensino Superior.
Compreendendo a arte como uma manifestação de movimentos históricos e sociais, nota-se por um lado, a ausência de artistas mulheres, mas por outro, a presença maciça de corpos femininos pintados e esculpidos, que serviram de inspiração ao longo da história.
Assim, esse curso pretende abordar e problematizar a presença das mulheres na arte, tanto suas representações, quanto suas autoras. A primeira parte do curso se concentra em analisar as representações do feminino na arte, percebendo através dessas as implicações ideológicas
de cada período. A segunda parte do curso analisará artistas consagradas na história da arte, suas obras e os desafios ao longo de suas vidas.

Segunda-feira das 19h às 21h
Investimento: 540,00/ 270,00 (meia)
Duração do módulo: 8 aulas (16 horas/aula)
Início das aulas: 12/05/2012
Término das aulas: 30/06/2013

 
Escola do MASP

Museu de Arte de São Paulo Assis Chateaubriand – MASP

Avenida Paulista, 1578 | 01310-200 | São Paulo – Brasil

Telefones: 55 11 3253 9663 – 55 11 3251 5644 ramal 2104

http://www.masp.art.br | http://www.facebook.com/escola.masp
Programa:
Aula 1: Historicizando as mulheres e as artes.
Aula 2: Deusas e musas – representações do sagrado feminino.
Aula 3: Bruxas e prostitutas – corpos malditos.
Aula 4: O fascínio pelo corpo feminino: a nudez.
Aula 5: O fascínio pelo corpo feminino: corpos vestidos.
Aula 6: Corpos exóticos: negras e orientais na arte Ocidental.
Aula 7: Mulheres letradas: de Safo à Virginia Wolf.
Aula 8: Tarsilas, Fridas e Louises: as pintoras e suas artes.
Bibliografia:
ARNOLD, Dana. Introdução à história da arte. SP: Ática, 2008.
BOURDIEU, Pierre. O poder simbólico. Lisboa: Difel, 1989.
_____________. A dominação masculina. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 1999.
BUTLER, Judith. Trouble dans le genre. Paris: La Découverte, 2005.
CORBIN, Alain, COURTINE, Jean-Jacques e VIGARELLO, Georges. (org). História do Corpo vol. 1 e
3. RJ: Vozes, 2008.
COSTA, Cristina. A imagem da mulher: um estudo da arte brasileira. RJ: SENAC, 2002.
DUBY, Georges & PERROT, Michele. História das Mulheres. O século XIX. São Paulo: EBRADIL,
1990.
POLLOCK, Griselda. Vision & Difference: Feminity, Feminism and the Histories of Art. Londres:
Routledge, 1994.
PERROT, Michele. As mulheres ou os silêncios da história. Bauru: EDUSC, 2005.
SCHLESSER, Thomas. Une histoire indiscrète du nu féminin. Paris : Beaux Arts Éditions, 2010.
SCOTT, Joan. “História das Mulheres” In: Burke, P. A escrita da história. SP: UNESP, 1991.
_______________. “Gênero: uma categoria útil de análise histórica”. In: Revista Educação &
Realidade, 1995.

07,08 e 09/05 (RS) -VII Congresso Internacional de Estudos sobre a Diversidade Sexual e de Gênero da Associação Brasileira de Estudos da Homocultura – ABEH

VII Congresso Internacional de Estudos sobre a Diversidade Sexual e de Gênero (ABEH).

 

O VII Congresso Internacional de Estudos sobre a Diversidade Sexual e de Gênero da Associação Brasileira de Estudos da Homocultura – ABEH, por deliberação da última assembléia geral realizada em Salvador, recortou o enfoque no tema da educação e suas intersecções com as questões do gênero, da sexualidade e das políticas públicas. Daí o título específico do congresso: Práticas, pedagogias e políticas públicas. Sua realização coincide com os 10 anos de existência do Programa Brasil Sem Homofobia bem como com os 10 anos de criação da Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização, Diversidade e Inclusão (SECADI) do Ministério da Educação (MEC).

 

Saiba mais em: http://abehcongresso2014.com.br/apresentacao/

23/03 – 1º Encontro Nacional de Negras e Negros da CSP-Conlutas

https://i1.wp.com/cspconlutas.org.br/wp-content/uploads/2014/02/Cartaz-Negros-baixa.jpg

No dia 23 de março de 2014 será realizado o 1° Encontro Nacional de Negras e Negros da CSP-Conlutas. A atividade contará com um ato de abertura que será realizado no dia 21, às 19h. Ambos os eventos serão realizados na Quadra dos Metroviários, em São Paulo.

 

De acordo com as entidades envolvidas na preparação do evento, o encontro tem o objetivo de “fortalecer o setorial de negras (os) da Central no debate da questão racial, para que possa responder à altura as demandas que o processo da copa e os ataques realizados pelos governos, a classe trabalhadora e ao povo negro. As lutas que se sucederam pós junho, colocaram na ordem do dia a importância das pautas raciais, a repercussão do tema do Amarildo foi uma demonstração muito forte disto”.

 

Uma das orientações da comissão organizativa é que as entidades busquem articular ações que promovam o encontro. Isso pode ser feito nas atividades realizadas pelos sindicatos, entre as quais, assembleias, reuniões de diretoria, seminários, congressos, etc.  Está sendo convocada também a realização de Pré-Encontros nos estados, ainda esse mês fevereiro, para que as entidades possam  aprofundar o debate em suas regiões e levem essas discussões para o encontro nacional.

 

Neste sentido, é importante que as entidades filiadas à central priorizem a realização dessa atividade, levando o debate para a base dos sindicatos, já que muitos desafios estão postos. “Aliada às demandas externas a Central como a questão da violência, da Copa e dos povos originários, a conjuntura que está dada este ano demonstra que teremos um ano de grandes enfrentamentos. A prioridade do governo será garantir a realização da copa, e com isto vem junto o aumento da criminalização da pobreza, da violência e do aprofundamento das perdas da classe trabalhadora”, explica o relatório da comissão organizativa.

 

Os critérios de participação ao encontro ainda estão sendo definidos, entretanto, o prazo para inscrição já foi estipulado e ocorrerá de 24 de fevereiro a 10 de março.

 

Alguns materiais como cartaz, blog e página no Facebook já estão prontos e servirão de apoio para que as entidades divulguem o encontro.  (Confira ao final da matéria).

 

Além desses materiais está sendo elaborado um folder com a programação que em breve também será disponibilizado.

 

13/02 (SP) – Clovis Moura e as raízes do protesto negro

Atividade Clovis Moura

O Núcleo de Consciência Negra convida para a atividade “Clovis Moura e as raízes do protesto negro”, por Márcio Farias.

Data: 13 de fevereiro de 2014
Horário: 18:00
Local: Núcleo de Consciência Negra
Avenida Professor Lúcio Martins Rodrigues, travessa 4, bloco 3, Cidade Universitária, São Paulo – SP
email: contato@ncn.org.br
telefone: (11) 958668863
(11) 30914291
facebook: /nucleodeconsciencianegra

 

Clóvis Steiger de Assis Moura. Nasceu em 1925, em Amarante, Piauí. Ainda criança, Moura mudou-se com a família para Natal, onde residiu de 1935 a 1941. Iniciou seus estudos num colégio de padres Maristas, o Colégio Santo Antônio. Neste colégio fundou o Grêmio Cívico-Literário 12 de Outubro, onde eram realizadas reuniões semanais para discussão de literatura e política.

Mudou-se para Salvador em 1942, quando tinha 17 anos. Na Bahia, Clóvis Moura entrou para a Faculdade de Direito, em 1944, curso que não concluiu. Naquele mesmo ano ingressou na carreira jornalística, trabalhando no jornal. O Momento, diário do Partido Comunista do Brasil. Foi seu primeiro contato com o PCB, e contribuiu para aprofundar-se na teoria marxista e nas discussões envolvendo o movimento comunista internacional. Em 1945 tornou-se militante partidário, aos 20 anos. Para pensar a história do Brasil, Clóvis Moura empreendeu uma análise apoiada na base marxista.

Através da análise dos quilombos e das numerosas insurreições dos escravizados, ele propôs uma nova interpretação da formação da sociedade brasileira. O conceito de luta de classes foi usado como central para a interpretação desses movimentos, que representariam o processo mais agudo da luta de classes no tempo da escravidão. Observou ele que a sociedade brasileira se formou através de uma contradição fundamental, senhores contra escravos, as demais contradições sendo decorrentes desta. A violência seria um aspecto central do sistema escravista. Neste sentido, num momento em que o Brasil ainda encontra dificuldades para se tornar uma democracia plena com a participação efetiva de todos, o legado de teórico de Clovis Moura, se faz imprescindível.

Links:

18/02 (SP) -Mobilização ao alcance de todos – Como liderar uma Campanha social

 

Na próxima terça-feira dia 18/10 às 19h, a Change.org estará coordenando uma Oficina de Mobilização dentro do Festival Impact Hub, na Vila Madalena.

A oficina será voltada para pessoas que queiram conhecer mais sobre a mobilização online, debater os elementos chave de uma campanha bem sucedida e começar a pensar em lançar sua própria iniciativa de mudança social. Serão abordadas questões sobre impacto político, construção da mensagem e divulgação, de uma forma bem prática e dinâmica.

Mais informações e inscrições no site:
http://www.eventick.com.br/hubescola100

Data: 18/fev – terça feira
Horário: 19h00 – 22h00
Carga Horária: 3 horas
Local: Impact Hub Vila Madalena
Rua Fradique Coutinho, 914
Facilitadores: Graziela Tanaka e Vitor Leal

Sobre a Change.org: Somos a maior plataforma de abaixo-assinados do mundo com 55 milhões de usuários, no Brasil temos 1,7 milhão. São centenas de abaixo-assinados criados todos os meses sobre os mais variados temas como meio ambiente, questões urbanas, educação, saúde, corrupção, cultura e direitos dos animais. O papel da nossa equipe é apoiar as campanhas em destaque para que elas consigam mais apoiadores, visibilidade, repercussão e impacto.

12/03 a 09/04 – (SP) Curso – “Identidades, guetos e comunidades: segregações naturalizadas e (des) vínculos sociais”

Curso – “Identidades, guetos e comunidades: segregações naturalizadas e (des) vínculos sociais”

  • Descrição: Panorama conceitual sobre exclusão/inclusão. Estigmas, estereótipos e preconceitos sociais a partir de discursos naturalizadores Posições de sujeito. Análises de discursos e agendas públicas sobre o tema. Atuação da imprensa e das redes sociais. Hipermodernidade.
  • Objetivo:- Apresentar conceitos sobre identidade, comunidade, gueto, sociedade, hipermodernidade.
    – Reconhecer a construção do discurso formador e naturalizador de estereótipos, preconceitos e estigmas sociais.
    – Desenvolver atividades práticas de análise do que se estuda por meio de produtos midiáticos e de artigos relacionados ao tema, tendo em vista o debate do tema;
    – Discutir os novos deslocamentos sobre banalidade do mal e de vínculos sociais.
  • Cronograma:
    Aulas ministradas às 4ª feiras (12/03, 19/03, 26/03, 02/04 e 09/04), das 19h00 às 21h30. Total de 12h30.
  • Público-alvo: Interessados em geral
  • Escolaridade exigida: NENHUMA
  • Período de realização: 12/03/2014 a 09/04/2014
  • Horário: 19h00 às 21h30
  • Total de vagas: 60
  • Período de inscrição: 11/02/2014 a 10/03/2014
  • Data de divulgação dos selecionados: 11/03/2014

Locais de Realização

  • Nome: Sala de aula do ILP
    Endereço : Av. Mario Kozel Filho, sem número
    Ibirapuera São Paulo São Paulo

01 e 02/02 (SP) – Curso de Formação de Formadores do Plebiscito Popular

Curso de Formação de Formadores – São Paulo

 1 e 2 de fevereiro de 2014

 

Local: SINTAEMA, Av. Tiradentes, 1323, próximo à estação Armênia do Metrô (linha azul) – Saída A.

 InscriçõesEnviar email com a fichinha abaixo para plebiscitoalcasp@yahoo.com.br . Isso é muito importante para que possamos garantir a estrutura necessária (alimentação e materiais).

 

Dando continuidade à construção do Plebiscito Popular pela Constituinte Exclusiva e Soberana do Sistema Político, será realizado nos dias 1 e 2 de fevereiro em São Paulo o Curso Estadual de Formação de Formadores. O objetivo do curso é ampliar o número de pessoas no estado de São Paulo que ao compreender melhor os limites do sistema político atual, possa contribuir  com a construção do Plebiscito Popular.

 

Cada organização deve indicar militantes que tenham condição de contribuir na formação de outras pessoas em seus locais de atuação, buscando uma representação bem distribuída no estado todo.

 

Será pedida uma contribuição para os custos com alimentação no valor de R$ 30,00 (três refeições e cafés). Para aqueles que não puderem, pedimos apenas uma contribuição simbólica de R$ 5,00.

 

Importante lembrar que os (as) participantes que precisarem de alojamento, devem  trazer colchonete, roupa de cama, banho e itens de higiene pessoa.

 

Não esqueçam de enviar a inscrição!!!


Programação:

Sábado
manhã: Sistema político atual.
tarde: Importância de uma assembleia constituinte exclusiva e o plebiscito.

Domingo
manhã: Subrepresentações, democracia direta e financiamento público.
tarde: Organização do plebiscito.

 

Assessores confirmados:

 

Lourdes Simões (MMM); Ricardo Gebrim (Consulta Popular); Markus Sokol (O Trabalho); Virgínia Barros (UNE); Luciano Santos (Plataforma pela Reforma Política); Raimundo Bonfim (CMP); Douglas Belchior (Uneafro).

Ficha de inscrição (copie e cole num email para plebiscitoalcasp@yahoo.com.br  com as informações preenchidas)

Nome:
Organização:
Cidade:
Email:
Telefone:

 

Maiores informações: (11) 3118-2516

plebiscitoalcasp@yahoo.com.br