Arquivo da categoria: Exposições

28 a 30/08 (SP) – Festival de Cinema Lésbico no MIS

O Dia Nacional da Visibilidade Lésbica é celebrado, desde 1996, em 29 de agosto, quando ocorreu o primeiro Seminário Nacional de Lésbicas (SENALE), promovido pelo Coletivo de Lésbicas do Rio de Janeiro (COLERJ). Para celebrar a data, o MIS promove, entre os dias 28 e 30, o Festival de Cinema Lésbico, com entrada totalmente Catraca Livre.

Tomboy - reprodução

A mostra de cinema exibe filmes e documentários no Auditório LABMIS. “Cassandra Rios: a Safo de Perdizes”, “Meu mundo é esse” e  “Tomboy” integram a programação.
E após as sessões dos longas “Lésbicas no Brasil” e “São Paulo em Hi-Fi”, os diretores participam de debates acompanhados pelo público.

Programação completa:

Dia 28/08/2014

18h – Cassandra Rios: a Safo de Perdizes

(dir. Hanna Korich, 2003, 62min, DVD, 16 anos)

Cassandra Rios foi uma escritora polêmica que ficou conhecida pela ousadia de suas obras, consideradas por alguns pornográficas, por outros irresistíveis. Na década de 1970, foi das autoras brasileiras que mais vendeu livros e também uma das mais perseguidas pela ditadura militar. Pode-se dizer que foi a primeira escritora brasileira a mostrar a mulher como um ser sexual e, mais ainda, a primeira a ter coragem de retratar as homossexuais. Neste vídeo, amigos, estudiosos, familiares, leitores, colegas falam de Cassandra Rios e prestam tributo à sua coragem e pioneirismo. Câmera de Cadu Silva, trilha sonora (em cima de dois poemas da própria Cassandra) de Laura Finocchiaro.

19h10 – Meu mundo é esse

(dir. Márcia Cabral, 2009, 15min, DVD, 12 anos)

Em diferentes estados do Brasil, desenrolam-se histórias reais de discriminação. Mulheres lésbicas e negras contam como vivem, ganham dinheiro e o que esperam do futuro. Meninas de um Brasil multicolorido e facetado relatam suas vidas e histórias com as próprias vozes e olhares.

 

Dia 29/08/2014

18h – Lésbicas no Brasil 

(dir. Maria Angélica Lemos, 2004, 50min, 16 anos)

O filme mostra uma série de vivências e ações do movimento lésbico brasileiro por longo período até início dos anos 2000, recuperando parte da memória desse segmento social organizado, principalmente nas cidades de São Paulo e Rio de Janeiro.

Após o filme, haverá debate com a diretora

 

Dia 30/08/2014

16h – São Paulo em Hi-Fi 

(dir. Lufe Steffen, 2013, 95min, DVD, 10 anos)

Documentário histórico que resgata a era de ouro da noite gay paulistana, fazendo uma viagem pelas décadas de 1960, 70 e 80 – a bordo das lembranças de testemunhas do período, trazendo à tona as casas noturnas que marcaram época, as estrelas, as transformistas, os heróis, e até os vilões: a ditadura militar e a explosão da AIDS.

Após o filme, haverá debate com o diretor

19h30 – Tomboy

(dir. Céline Sciamma, 2012, 82min, DVD, 12 anos)

Laure (Zoé Héran) é uma garota de 10 anos, que vive com os pais e a irmã caçula, Jeanne (Malonn Lévana). A família se mudou há pouco tempo e, com isso, não conhece os vizinhos. Um dia Laure resolve ir na rua e conhece Lisa (Jeanne Disson), que a confunde com um menino. Laure, que usa cabelo curto e gosta de vestir roupas masculinas, aceita a confusão e lhe diz que seu nome é Mickaël. A partir de então ela leva uma vida dupla, já que seus pais não sabem de sua falsa identidade.

 

Festival de Cinema Lésbico
Onde:
MIS – Museu da Imagem e do Som de São Paulo
http://www.mis-sp.org.br/

Avenida Europa, 158
Jardim Europa – Oeste
São Paulo
(11) 2117-4777
  • Qui 28/08
    • às 18:00
  • Sex 29/08
    • às 18:00
  • Sáb 30/08
    • às 16:00

 

Fonte: Catraca Livre: https://catracalivre.com.br/sp/agenda/gratis/festival-de-cinema-lesbico-exibe-filmes-gratuitos-seguidos-de-debates/

26/08 a 31/08 (SP) – Estéticas da Periferia: Confira a programação!

 

icon_esteticas2014Favelaabdiasecarolina


Duas das mais importantes referências da militância e do universo do negro, Carolina Maria de Jesus e Abdias Nascimento, nasceram no mesmo dia: 14 de março de 1914. Aproveitando a data centenária, o Estéticas das Periferias apresenta, já na sua abertura, uma peça que une o universo e a história de ambos. Sob a direção artística de Lucelia Sergio, da Cia. Os Crespos, o espetáculo “Favela” reúne as quatro companhias de Teatro Negro da cidade de São Paulo: Os Crespos, Coletivo Negro, Capulanas Cia. de Arte Negra e Grupo Clariô de Teatro, com o acompanhamento musical da banda Aláfia. A partir do discurso de Carolina Maria de Jesus, o espetáculo cria uma ponte com a realidade da periferia hoje e coloca a Favela em cena, dando voz, grito e canto às várias Carolinas do nosso tempo.


Direção geral: Lucelia Sergio | Assistente de direção Sidney Santiago Kuanza | Atores: Darília lilbé, Lucelia Sergio e Sidney Santiago Kuanza (Os Crespos); Aysha Nascimento, Jé Oliveira, Jefferson Matias, Raphael Garcia, Thaís Dias (Coletivo Negro); (Capulanas Cia de Arte Negra); Naruna Costa, Naloana Lima, Martinha Soares (Grupo Clariô de Teatro). Banda Aláfia: Jairo Pereira – voz | Eduardo Brechó – voz e guitarra | Xênia França – voz | Lucas Cirillo – gaita | Filipe Gomes – bateria | Alysson Bruno – percussão | Gabriel Catanzaro – baixo | Pipo Pegoraro – guitarra | Gil Duarte – trombone | Fernando TRZ – teclados.


Dia 26 (terça-feira) às 20h. Auditório Ibirapuera. Av. Pedro Álvares Cabral, s/nº, Parque Ibirapuera, Portão 3, São Paulo/SP.Entrada franca: retirar ingressos a partir das 18h na bilheteria.

icon_esteticas2014Intervenção “Sertão Amado” (Cia de Teatro Conectados)


Retratando a realidade de famílias do sertão, a história é encenada de forma dramática e cômica pelos três irmãos: Zé, Dora e Rosa.


  Dia 26 (terça-feira) às 16h. Terminal Vila Nova Cachoeirinha, ao lado do CCJ. Centro Cultural da Juventude. Av. Dep. Emílio Carlos, 3641, Vila Nova Cachoeirinha, São Paulo/SP.

icon_esteticas2014Samba da Vela


“O show começa quando a vela é acesa, o show acaba quando a vela se apaga…” O Samba da Vela acontece todas as segundas-feiras em Santo Amaro, reunindo cantores, músicos, compositores e simpatizantes. Fundada em 2000, a mais importante roda de samba de São Paulo se apresenta na quarta edição do Estéticas das Periferias.


Dia 27 (quarta-feira) às 20h. Centro Cultural São Paulo (CCSP). Rua Vergueiro, 1000, Liberdade, São Paulo/SP.

icon_esteticas2014Mostra de Teatro Negro: COLETIVO NEGRO


Abdias do Nascimento foi fundamental na criação do Teatro Negro Experimental – TEN, referência em teatro no século XX. Para homenageá-lo, a Mostra de Teatro Negro acontecerá de 27 a 30/08 com apresentações completas das companhias Os Crespos, Coletivo Negro, Grupo Clariô de Teatro e Capulanas Cia de Arte Negra. Composto por artistas da Escola Livre de Teatro de Santo André (ELT) e da Escola de Arte Dramática da USP, o Coletivo Negro é um grupo de afro-descendentes comprometidos com a recriação artística do imaginário construído em relação ao negro brasileiro. Nascido em 2008, estreia “Movimento Número 1: O Silêncio de Depois…” em 2011, que rendeu duas indicações ao prêmio Cooperativa Paulista de Teatro. Em 2014, estrearam a peça “{ENTRE}”. 


Dia 27 (quarta-feira) às 20h. CEU Jaçanã. Rua Mário Lago, 46, Jaçanã, São Paulo/SP    

icon_esteticas2014Tudobolô


Espetáculo infantil com Chico dos Bonecos. O ator conta histórias, brinca com as palavras e apresenta um abracadabrante Escada de Maracá e uma mirabolante coleção de Jabolôs.


Dia 27 (quarta-feira) às 10h. Espaço Cultural Periferia no Centro / Ação Educativa. Rua General Jardim, 660, Vila Buarque, São Paulo/SP.

icon_esteticas2014Show Questões de Gênero na Brasilândia


A Fábrica de Cultura da Brasilândia abrigará três grupos e coletivos na noite da quarta-feira: Les Queens, Sarau do Ademar e Samba Delas.


Dia 27 (quarta-feira) às 18h. Fábrica de Cultura da Brasilândia. Av. Inajar de Souza, 7001, Brasilândia, São Paulo/SP.

icon_esteticas2014Mostra de Teatro Negro: OS CRESPOS


Abdias do Nascimento foi fundamental na criação do Teatro Negro Experimental – TEN, referência em teatro no século XX. Para homenageá-lo, a Mostra de Teatro Negro acontecerá de 27 a 30/08 com apresentações completas das companhias Os Crespos, Coletivo Negro, Grupo Clariô de Teatro e Capulanas Cia de Arte Negra. Formado na Escola de Arte Dramática em 2005,Os Crespos é um coletivo teatral de pesquisa cênica e audiovisual, debates e intervenções públicas que trabalha, há nove anos, na construção de um discurso poético que debata a sociabilidade do indivíduo negro na sociedade contemporânea. Estreou em 2006 com o espetáculo “Anjo Negro”, com direção do alemão Frank Castorf, e apresenta ao público em 2014,“Cartas à Madame Satã ou Me Desespero sem Notícias Suas”.


Dia 28 (quinta-feira) às 20h. Instituto Pombas Urbanas. Av. dos Metalúrgicos, 2100, Cidade Tiradentes, São Paulo/SP.

icon_esteticas2014Oficina de Máscaras


Participante do CAP (Coletivos Culturais de Cidade Ademar e Pedreira), a Cia Ateliê das Artes introduz na oficina a história das máscaras, a partir de seu processo de desenvolvimento e dos materiais que se utiliza para fazê-las. Cada participante terá a oportunidade de montar sua própria máscara, sendo a pintura, formato e expressões totalmente livres.


Dia 28 (quinta-feira) das 08h às 11h. Casa de Cultura e Cidadania Guacuri (Circo). Rua Joaquim Forzano, 50, Vila Guacuri, São Paulo/SP.

icon_esteticas2014Fernando Anitellifernando_anitelli


Ator, músico e compositor, Fernando Anitelli, líder do consagrado grupo Teatro Mágico, apresenta um show solo acompanhado de violão.


Dia 28 (quinta-feira) às 20h. Centro Cultural da Juventude (CCJ). Av. Deputado Emílio Carlos, 3641, Vila Nova Cachoeirinha, São Paulo/SP.

icon_esteticas2014Fernanda Coimbra


Cantando a maloqueiragem, Fernanda Coimbra mistura blues e samba ao apresentar novos compositores da periferia paulistana.


Dia 28 (quinta-feira) às 20h. Centro Cultural da Penha. Largo do Rosário, 20, Penha, São Paulo/SP.

 

icon_esteticas2014 Lurdez da Luz lurdezdaluz


Lurdez da Luz comemorou em 2013 seus 10 anos de carreira. A rapper já dividiu o palco com grupos de destaque como Jurassic Five, De La Soul, Mos Def, Pharoahe Monch. Enquanto se prepara para o lançamento de seu segundo álbum, Lurdez da Luz realiza show da sua turnê Levante no CEU Jaçanã.


Dia 29 (sexta-feira) às 20h. CEU Jaçanã. Rua Mário Lago, 46, Jaçanã, São Paulo/SP.


icon_esteticas2014Nhocuné Soul


Com raízes no samba, soul e funk, além de levadas de hip hop, a banda completa 15 anos de estrada, com três álbuns gravados de forma independente. Com quase todos os integrantes engajados na luta por moradia e na relação periferia-centro, as letras discutem o preconceito racial e juventude.


Dia 29 (sexta-feira) às 19h. Centro Cultural São Paulo (CCSP). Rua Vergueiro, 1000, Liberdade, São Paulo/SP.

icon_esteticas2014Kamaukamau


Kamau rima desde 1997 e já dividiu palcos e gravações com várias gerações do rap brasileiro e mundial. MC, compositor, beatmaker e skatista, na quarta edição do Estéticas das Periferias, o rapper traz um show com as canções do seus discos …ENTRE… e Non Ducor Duco.


Dia 29 (sexta-feira) às 21h. CEU Butantã. Av. Engenheiro Heitor Antônio Eiras Garcia, 1870, São Paulo/SP.

icon_esteticas2014Prettos


Os irmãos Maurilio e Magnu, integrantes do premiado e reconhecido Quinteto Branco e Preto, juntos com a banda Cundum, apresentam o projeto Os Prettos, um show repleto de sambas tradicionais, além de composições próprias.


Dia 29 (sexta-feira) às 19h30. CEU Inácio Monteiro. Rua Barão Barroso do Amazonas, s/nº, São Paulo/SP.

bakimbutaicon_esteticas2014Ba Kimbuta


Vocalista e compositor, Ba Kimbuta defende o rap como instrumento de luta, denunciando, através de suas músicas, diversas questões sociais e atacando o preconceito, a desigualdade social e os demais reflexos causados pelo capitalismo. A união com a banda Makomba traz para o show influências do samba, funk, reggae, jazz e afrobeat.


Dia 29 (sexta-feira) às 20h. CEU Tiquatira. Av. Condessa Elizabeth de Robiano, São Paulo/SP.

icon_esteticas2014Crônica Mendes


Compositor e um dos criadores do grupo “A Família”, Crônica Mendes é reconhecido nacionalmente por seu trabalho e por sua música. Além dos palcos, o rapper se faz presente em diversas atividades em escolas, dentro das unidades da Fundação Casa e em saraus. Confira show com participação de Edi Rock, Rashid e Gregory.


Dia 29 (sexta-feira) às 20h. CEU Paraisópolis. Rua Doutor José Augusto De Souza E Silva, s/nº, Jardim Parque, Morumbi, São Paulo/SP.

icon_esteticas2014Stand Up Comedy – Costa Senna e Serginho Poeta


Nascido em Fortaleza e radicado em São Paulo, Costa Senna é cantor, ator, compositor e poeta. Mostra em suas performances a versatilidade do artista que traz a linguagem de fazer o povo rir e pensar.costa_senna


Dia 29 (sexta-feira) às 20h. Bar do Zé Batidão. Rua Bartolomeu Dos Santos, 797, Chácara Santana, São Paulo/SP.

icon_esteticas2014Oficina de Máscaras


Participante do CAP (Coletivos Culturais de Cidade Ademar e Pedreira), a Cia Ateliê das Artes introduz na oficina a história das máscaras, a partir de seu processo de desenvolvimento e dos materiais que se utiliza para fazê-las. Cada participante terá a oportunidade de montar sua própria máscara, sendo a pintura, formato e expressões totalmente livres.


Dia 29 (sexta-feira) das 08h às 11h. Casa de Cultura e Cidadania Guacuri (Circo). Rua Joaquim Forzano, 50, Vila Guacuri, São Paulo/SP.

icon_esteticas2014Cartas


O espetáculo da Cia Atêlie das Artes traz histórias de que vão se construindo e sendo interpretadas por um corpo invisível, pelo morador em situação de rua. Por meio das cartas, mostra-se pessoas que se relacionam indiretamente, mas que estão ligadas, expondo gente que não teve tempo de viver e contar a sua própria história.


Dia 29 (sexta-feira) às 15h. Casa de Cultura e Cidadania Guacuri (Circo). Rua Joaquim Forzano, 50, Vila Guacuri, São Paulo/SP.

icon_esteticas2014Mostra de Teatro Negro: CAPULANAS CIA. DE ARTE NEGRA, com SANGOMA


O espetáculo Sangoma discute temas relacionados à saúde das mulheres negras. Seis mulheres Sangomas habitam uma casa sagrada com laços ancestrais. Mulheres que romperam o silêncio, compartilham suas histórias de vida e seus caminhos para chegar à cura.


Dia 30 (sábado) às 18h30. Rua José Barros Magaldi, 1021, Jd. São Luís, São Paulo. Reservas: comunicacaocapulanas@gmail.com, capacidade para 30 lugares – em caso de chuva, não haverá espetáculo.

alafiaicon_esteticas2014Banda Aláfia


Da batucada ao baile funk: além da participação na abertura do Estéticas das Periferias 2014, a banda Aláfia, grupo paulistano formado por 11 músicos, se apresenta no Centro Cultural da Juventude, com repertório que mescla cultura popular brasileira, hip hop, funk, jazz e soul.


Dia 30 (sábado) às 20h. Arena CCJ (Centro Cultural da Juventude). Av. Dep. Emílio Carlos, 3641, Vila Nova Cachoeirinha, São Paulo/SP.

icon_esteticas2014Mostra de Teatro Negro: GRUPO CLARIÔ DE TEATROclario


O Grupo Clariô de Teatro é um coletivo que busca discutir a arte produzida pela periferia, na periferia e para a periferia. Na quarta edição do Estéticas das Periferias, o coletivo apresenta o premiado espetáculo “Urubu Come Carniça e Vôa!”, de Miró da Muribeca, que trata da condição de mulheres e homens das periferias do Brasil de hoje.


Dia 30 (sábado) às 20h. Espaço Clariô. Rua Santa Luzia, 96, Vila Santa Luzia, Taboão da Serra/SP.

icon_esteticas2014Cortejos:  Maracagueto, Batuque Abayomi e Caracaxá


Nascido em 2005, o grupo Maracagueto é formado por artistas de Diadema e da Grande São Paulo que apresentam ritmos, danças e personagens das manifestações da cultura popular. O Batuque Abayomi é um grupo de mulheres de diferentes idades, nascido de uma oficina de batucada. O nome Abayomi é uma palavra yorubá da língua africana que significa ‘encontro precioso’ e ‘aquele que traz a felicidade’. Já a Cia Caracaxá brinca com o Maracatu de Baque Virado e se formou no final de 2003.


Dia 30 (sábado) às 11h. CEU Alvarenga. Estrada do Alvarenga, 3752, Balneário São Francisco, Pedreira, São Paulo/SP.

icon_esteticas2014Tenda de DJs e Batalha de MCs Alvarenga Rap City


Tenda de DJs: Fábio Jota, além de DJ, atua como produtor cultural e traz em sua seleção musical ritmos brasileiros, em especial da cultura popular, remixados com a música eletrônica. Erry-G iniciou seu contato com o hip hop em 1994 ao criar o grupo de rap Face Ativa. Atua como DJ, produtor cultural e arte educador. A Batalha de MCs Alvarenga Rap reúne artistas amantes da cena do rap independente para compartilhar informações e trabalhos, realizando batalhas de improviso e promovendo freestyles.


Dia 30 (sábado) às 13h30. CEU Alvarenga. Estrada do Alvarenga, 3752, Balneário São Francisco, Pedreira, São Paulo/SP.

icon_esteticas2014Debate: A Construção de Políticas Culturais na Periferia


Trazendo uma das pautas do CAP – Coletivos Culturais da Cidade Ademar e Pedreira, o debate pretende fortalecer os agentes culturais da região. Participantes: Eliane Moreno (atriz e militante do Fórum da Zona Leste), João Nascimento (produtor cultural do Grupo Treme Terra da Zona Oeste), Fernando Ferrari (membro da Rede Popular de Cultura M`Boi Mirim e Campo Limpo e Zona Sul) e Noêmia de Oliveira (produtora cultural e militante da Zona Norte).


Dia 30 (sábado) às 15h45. CEU Alvarenga. Estrada do Alvarenga, 3752, Balneário São Francisco, Pedreira, São Paulo/SP.

icon_esteticas2014Eu, Tu, Eles, Nozes & Vozes


O Cena Norte – Fórum Cultural da Zona Norte apresenta a terceira edição do evento multiartístico “Eu, Tu, Eles, Nozes & Vozes”, que terá apresentações de grupos de dança, esquetes teatrais, poesia, músicos de MPB, bandas e fanfarras escolares, bandas pop, manifestações da cultura popular, hip hop, contação de causos e outras expressões. Jefferson Messias, poeta e cordelista, Grupo X-Pression, Emmy Formando’s MCs, Gnomo Ju e Bica 1720 estarão presentes.


Dia 30 (sábado) às 18h. Arena CCJ (Centro Cultural da Juventude)Av. Dep. Emílio Carlos, 3641, Vila Nova Cachoeirinha, São Paulo/SP.

icon_esteticas2014Sarau A’gosto das Letras – Homenagem a Dorival Caymmi


Em homenagem ao centenário de Dorival Caymmi, o sarau contará com leituras e fragmentos das obras de Jorge Amado e outros autores que dialogam com o universo musical de Caymmi, além de uma roda de samba com grupos e sambistas da Cidade Ademar.


Dia 30 (sábado) às 19h. CEU Alvarenga. Estrada do Alvarenga, 3752, Balneário São Francisco, Pedreira, São Paulo/SP.

icon_esteticas2014Ballet Capão Cidadão, da Associação Capão Cidadão e MC Boy Killa


Dia 30 (sábado) às 20h. CEU Campo Limpo. Av. Carlos Lacerda, 678, São Paulo/SP.

icon_esteticas2014

emicida

Emicida – convidado especial: Raelrael


Para encerrar o Estéticas das Periferias 2014, Emicida sobe ao palco com o show “O Glorioso Retorno de Quem Nunca Esteve Aqui”, seu primeiro disco oficial. O show passeia por ritmos que vão do funk ao samba com forte influência percurssiva, com Rael como convidado especial. No cenário hip hop, Rael é um artista em ascensão. Mesclando rap com samba e reggae, ele lança seu segundo álbum de estúdio com participações de grande nomes do hip hop nacional.


Dia 31 (domingo) às 17h. Praça do Cemitério da Cachoeirinha. Av. Deputado Emílio Carlos, Vila Cachoeirinha, próximo ao Centro Cultural da Juventude Ruth Cardoso, São Paulo/SP.


Confira todas as atrações

do encerramento

 

icon_esteticas2014Encontro de Cortejos


É di Santo, Umoja e Maracatu de Raíz Nagô se encontram para energizar o último dia do evento. Nos intervalos dos shows, ao longo do dia, cada cortejo realizará uma apresentação única.


Dia 31 (domingo) às 10h. Praça do Cemitério da Cachoeirinha. Av. Deputado Emílio Carlos, Vila Cachoeirinha, próximo ao Centro Cultural da Juventude Ruth Cardoso, São Paulo/SP.

icon_esteticas2014Tia Cida


O samba é o mais tradicional dos ritmos brasileiros, nascido nos morros e periferias do Brasil no início do século XX. Com uma tradição de grandes intérpretes femininas, Tia Cida não foge a regra.


Dia 31 (domingo) às 11h. Praça do Cemitério da Cachoeirinha. Av. Deputado Emílio Carlos, Vila Cachoeirinha, próximo ao Centro Cultural da Juventude Ruth Cardoso, São Paulo/SP.

icon_esteticas2014Caravana do Funk


Junto com o rap, o funk é um dos principais ritmos para os jovens moradores das periferias nesse início de século. A Caravana do Funk irá apresentar jovens artistas que estão despontando nesse cenário.


Dia 31 (domingo) às 12h30. Praça do Cemitério da Cachoeirinha. Av. Deputado Emílio Carlos, Vila Cachoeirinha, próximo ao Centro Cultural da Juventude Ruth Cardoso, São Paulo/SP.

carolkonkaicon_esteticas2014Karol Conka


Umas das principais artistas que surgiu no rap nacional nos últimos anos, essa curitibana trará ao evento suas batidas poderosas do universo feminino.


Dia 31 (domingo) às 14h30. Praça do Cemitério da Cachoeirinha. Av. Deputado Emílio Carlos, Vila Cachoeirinha, próximo ao Centro Cultural da Juventude Ruth Cardoso, São Paulo/SP.

icon_esteticas2014Encontro de DJs


Reunindo quatro DJs que tocam simultaneamente e entre eles estabelecem disputas, este espetáculo de grande originalidade impressiona pela performance de cada DJ e pela harmonia do conjunto, dando a impressão de uma orquestra.


Dia 31 (domingo) às 16h. Praça do Cemitério da Cachoeirinha. Av. Deputado Emílio Carlos, Vila Cachoeirinha, próximo ao Centro Cultural da Juventude Ruth Cardoso, São Paulo/SP.

icon_esteticas2014Feira de Economia Solidária


Com o objetivo de fomentar práticas de economia solidária na área de cultura, oito tendas vão estar espalhadas durante o encerramento do Estéticas das Periferias. Diferentes coletivos e empreendedores vão marcar presença.


Dia 31 (domingo) das 10h às 17h. Praça do Cemitério da Cachoeirinha. Av. Deputado Emílio Carlos, Vila Cachoeirinha, próximo ao Centro Cultural da Juventude Ruth Cardoso, São Paulo/SP.

icon_esteticas2014Encontro de Saraus


A literatura estará presente no encontro de saraus, com os coletivos Poetas Ambulantes, Poesia Maloqueirista, Mjiba e Quilomboje. O jovem grupo dos Poetas Ambulantes inovou nas suas intervenções artísticas e fez das ruas e dos terminais urbanos da cidade o seu campo de atuação, entre passageiros de coletivos e de trens urbanos. Criado há quase dez anos, o coletivo Poesia Maloqueirista vem disseminando poesias em projetos ligados à formação de leitores em bibliotecas públicas e saraus. Para completar a cena, o Mjiba, sarau composto por mulheres negras e responsável pela coletânea “Pretextos de Mulheres Negras”, e o Quilomboje, um dos mais antigos e respeitados coletivos literários de São Paulo e que desde a década de 1970 lança coletâneas de escritores negros, se reúnem na homenagem a Carolina Maria de Jesus.


Dia 31 (domingo) às 15h. Centro Cultural da Juventude. Av. Deputado Emílio Carlos, 3641, Vila Cachoeirinha, São Paulo/SP.

icon_esteticas2014Programação Infantil


O Estéticas das Periferias também é lugar para os pequenos. A programação infantil desse ano reúne aTenda Lúdica Ilu Oba de Min, espaço com pintura facial, contação de histórias e brincadeiras da tradição afrobrasileira e aTrupe Liuds, trupe circense formada por palhaços negros que atua na comunidade de Perus e apresentará o espetáculo infantil Mjiba – A boneca guerreira.


Dia 31 (domingo) das 10h às 15h. Centro Cultural da Juventude. Av. Deputado Emílio Carlos, 3641, Vila Cachoeirinha, São Paulo/SP.

25 e 26/07 – SP – Virada Cultural Mulher Negra e Cia – Dia Internacional da Mulher Negra

MULHERNEGRA

https://www.facebook.com/events/607532825984211/?ref_dashboard_filter=upcoming

25 e 26/07

R. Belmiro Braga, 119 – Pinheiros  – SP
11 30345703 – http://www.centroculturalrioverde.com.br

Exposição de Artes, Amostra de Filmes; Exposição de Livros e Artigos Africanos; Show de samba; Expo Mulher Negra e Cia; Dança; Shows Pé na África, Negra Li, Ivo Meirelles, Ivison Pessoa e Banda; Dj Jorge de Sá e DeejayDony; Praça de Alimentação, barraca de acarajé; Oficinas de moda, beleza, maquiagem, amarração de turbante; e workshop de produção cultural…tudo isso em 24 horas e em todas os espaços do CC Rio Verde, começando no dia 25.07 às 10hs e terminando 26.07 às 20hs.

CRONOGRAMA DAS APRESENTAÇÕES/ATRAÇÕES: 

25 de julho
9h45 – Abertura ao público

– Teatro 
10h – Curso de produção Cultural (MINC)
13h – Almoço
14h – Retorno do curso
18h – Início da mesa de debate
20h – Entrega dos certificados
23h – Abertura e apresentação de dança Afro
– DeejayDony
– Show Negra Li
– DeejayDony – Encerra a pista
– 5hs – Encerramento do evento.

– Sala Multiuso
Expor Mulher Negra e Cia
25.07 – inicia às 12h
26.07 – término às 21h

– Estúdio 
14h às 19h – Amostra de filmes

– Coreto
10h às 17:30h – Capoeira, grafite, dança (Oficinas) 

– Pátio
10h – Exposição de Livros e artigos Africanos

26 de julho – continuação do evento

5h – sopa e café da manhã(encerramento do dia 25)

– Teatro 
10h – Abertura do espaço com exposição

– Coreto
13h – DeejayDony
13h30 – Show Ivison e banda
15h00- DeejayDony convida DJ Jorge de Sá 
16h00 – Bukassa e Banda Mutoto
17h30 – DeejayDony
18h15 – Show Ivo Meirelles
19h45 – DeejayDony
20h00 – Encerramento

– Sala Multiuso
Expor Mulher Negra e Cia
2507 – inicia às 12h
26.07 – término às 21h

Entrada antecipada (Ingresso válido para um dia):
R$ 20,00 Mulher
R$ 25,00 Homem

Passaporte (ingresso válido para os dois dias):
R$ 35,00 Mulher
R$ 45,00 Homem

Entrada na porta:
R$ 25,00 Mulher
R$ 30,00 Homem

Dia Internacional da Mulher Negra, um evento que você não pode perder!

07 a 11/05 (DF) Exposição: Igualdade para as Mulheres: desafios para o mundo do trabalho

expo

Data: 07 a 11 de maio
Local: CCBB – Centro Cultural Banco do Brasil – em frente à Biblioteca

“O evento acontece no Centro Cultural do Banco do Brasil (CCBB) – Brasília , às 17 horas, no espaço em frente à biblioteca. As fotos retratam as mulheres nos diversos espaços de trabalho nas empresas que aderiram ao Programa Pró-Equidade de Gênero e Raça da SPM. A exposição permanece aberta até o próximo domingo.”

http://spm.gov.br/noticias/ultimas_noticias/2014/05/06-05-ministra-abre-exposicao-de-fotografia-do-programa-pro-equidade

17/02 a 07/04 (RJ) Exposição “Resistir é preciso”

De 12 de fevereiro a 7 de abril o CCBB recebe a exposição “Resistir é preciso”, mostra que resgata o período da ditadura no Brasil, com entrada franca.

Divulgação/ Orlando Brito

Exposição que marca os 50 anos da ditadura militar no Brasil (1964-1985) idealizada pelo Instituto Vladimir Herzog, apresentando as lutas pela reconstrução da democracia por meio das artes plásticas, obras de fotojornalismo, videodepoimentos e documentação do período.

A mostra expõe um expressivo conjunto de obras de arte e documentos históricos que apresentam a militância dos artistas denunciando abusos e crimes da ditadura. Entre os destaques da exposição consta a coleção de Alípio Freire, jornalista e ex-preso político, que reuniu obras de artistas plásticos como Sérgio Freire, Flávio Império, Sérgio Ferro e Takaoka, produzidas no período de cárcere, no presídio Tiradentes, em São Paulo, e as ilustrações de Rubem Grilo, ilustrador de publicações como Movimento, Opinião e Pasquim da década de 1970.

Fonte: http://catracalivre.com.br/2014/02/07/exposicao-sobre-a-ditadura-em-cartaz-no-ccbb/

(RJ) Sesc Niterói apresenta exposição “Mulher negra mulher”

O Sesc Niterói apresenta a exposição “Mulher negra mulher”, de 1 a 29 de março, com  entrada gratuita.  A exposição traz fotos e vídeos que retratam a condição de mulheres nos mais diversos meios sociais. A direção de produção, curadoria e concepção é de Flávio Rocha. As fotografias são de Ernane Pinho.

Divulgação

O que?
Mulher negra mulher
Quando:
  • de 1 a 29/03
    • Segundas, Terças, Quartas, Quintas, Sextas, Sábados e Domingos das 08:00 às 17:00
Quanto?
Catraca Livre
Onde?

Sesc Niterói

Rua Padre Anchieta, 56
Niterói – Niterói/São Gonçalo
Niterói

Ver no mapa

10 a 14/03 (SP) – III Semana da Mulher no IA

Programação da III Semana das Mulheres no IA 

 

10 a 14 de março de 2014

 

 

 

 

 

 

Dia 10 de março, segunda-feira:

 

19:00 – Exibição do documentário “Miss Representation” de Jenifer Siebel + Roda de conversa sobre gênero e educação

 

 

Local: Sala 407

 

Dias 11, 12 e 14 de março

 

14:00-17:00 – Oficina de Teatro da Oprimida, com Alice Maria

 

 

Local: Sala 203

 

Dia 11 de março, terça-feira:

 

19:00 – Roda de conversa “Chiquinha e Frida: duas personagens à procura de um autor” com Rafael do Nascimento

 

 

Local: Sala 407

 

Dia 12 de março, quarta-feira:

 

19:00 – Roda de Conversa “Feminismo Universitário”, com a participação de coletivos feministas universitários da cidade de São Paulo

 

 

Local: Sala 407

 

Dia 13 de março, quinta-feira:

 

21:00 – Performance “Eu não sou bonita” de Angelica Liddell

 

(parte da programação do MIT)

 

 

Local: Teatro Cacilda Becker (Rua Tito, 295 – Lapa)

Entrada franca, chegar com 1 hora de antecedência

 

Dia 14 de março, sexta-feira

 

19:00 – Apresentação da Cena de Teatro Fórum criada durante a oficina “Teatro da Oprimida” + Sarau e Confraternização Feminista

 

 

 

 

 

 

 

Poéticas Feministas: um estudo sobre gênero e arte
Instituto de Artes da UNESP – São Paulo

 

Imagem intercalada 1

08/03 (SP) – Especial Março Mulher – 100 anos de Carolina Maria de Jesus

ESPECIAL MARÇO MULHER

O projeto “Março Mulher” pretende criar espaços de debates que olhem para a construção de políticas públicas, discutindo assim, a relação da mulher em diversos espaços na sociedade.

DIÁLOGO SOBRE GESTAÇÃO

Com Adriana Giorgione.

Dia 08 e 14/03, sábado e sexta, 10h. Mirante.

Livre.

FEIRA CULTURAL SOLIDÁRIA

Serão 20 expositores com venda de fotografias, artes plásticas, artesanato, CD produzido por mulheres.

Dia 8/3, sábado, das 10h às 18h. Área de Convivência.

RODA DE CONVERSA | POLÍTICAS PÚBLICAS PARA AS MULHERES

Criação e desenvolvimento de novas ações de políticas públicas para a juventude feminina, negra, indígena, quilombola e periférica.

Palestrantes: Nataly Cano, Representante Colombiana dos Quilombos da América Latina;

Márcia: (nome indígena Guarani YVAPOTUJU) Representantes das duas aldeias localizadas no Pico do Jaraguá, Aldeia Tekoa Pyau e Tekoa Ytu;

Rejane Romano: Jornalista especialista em Mídia, Comunicação e Cultura e Professora da Faculdade Zumbi dos Palmares

Mediadora: Jovem Monitora Cultural CCJ.

Dia 8/3, sábado, 15h. Área de Convivência.

Livre. Não é necessário fazer inscrição.

II SP TRANSvisão – Semana da Visibilidade de Travestis e Transexuais

PROGRAMAÇÃO:

Exposição: O “T” da Questão

Durante toda a semana

 

 

Onde: SP Escola de Teatro – Centro de Formação das Artes do palco

Praça Franklin Roosevelt, 210 – Consolação

Entrada franca

 

27/01 (segunda-feira)

 

19h | Mesa de discussão com o lançamento do livro “Envelhecimento trans”, de Pedro Paulo Sammarco

 

Participantes: Pedro Paulo Samarco, Thaís Azevedo, Phedra de Cordoba, Mirian Queiroz

Mediação: Rachel Rocha

 

 

 

28/01 (terça-feira)

 

19h | Espetáculo teatral “Lou & Leo”

Após a peça haverá debate com o público com Léo Moreira, Nelson Baskerville, Rodolfo García Vázquez e Rachel Rocha

 

 

 

29/01 (quarta feira)

 

19h | Mesa de discussão 

Projeto PEG – “Despatologização das identidades trans”

 

Participantes: Dr. Osvaldo Rodrigues e Dr. Eduardo Perin

Mediação: Márcia Rocha e Leo Moreira

 

21h | Atividade artística

 

Homenagem – Prêmio Claudia Wonder

 

Show “Glamour T”

Apresentação: Gretta Starr

Com: Athena Joy, Bianca Mahafe, Brenda Oliver, Carla Hellen, Dailyn Roses, Kimberly e Thalia Mexicana

 

 

 

30/01 (quinta-feira)

 

19h | Mesa de discussão: “Trans emprego” 

 

Participantes: Ivam Cabral, Reinaldo Bulgarelli e mais um representante do site TransEmpregos

Mediação: Janaína Lima e Brunna Valin

 

21h | Atividade artística

Sessão do filme: “O sapato de Aristeu” de Luiz René Guerra

 

 

 

31/01 (sexta-feira)

 

19h | Mesa de discussão: “Escola e identidade de gênero”

 

Participantes: Thiago Teixeira Sabatine, Paula Beatriz de Souza Cruz e Flávia Araújo

Mediação: Heloísa Alves

 

21h | Atividade artística 

Show de Renata Peron

 

 

Serviço

SP TransVisão II – Semana da Visibilidade Trans

Quando: De 27/01 a 31/01, a partir das 19h

Onde: SP Escola de Teatro – Sede Roosevelt

Praça Roosevelt, 210 – Consolação

Tel.: (11) 3775-8600

Grátis

 

26 a 01/12- Mostra África Hoje na Caixa Cultural (Salvador/BA)

De 26 de novembro a 01 de dezembro Salvador recebe, na Caixa Cultural, a 2a edição da mostra de documentários “África Hoje”. Com idealização de Marco Abujamra, realização e coordenação de Mariana Marinho e curadoria de Luciana Hees, o evento oferece um vasto panorama da produção africana contemporânea de documentários, realizados por cineastas de diversas nacionalidades como Senegal, Tunisia, Moçambique, Portugal, Egito, Inglaterra, EUA entre outros.

 
2° edição da Mostra ÁFRICA HOJE acontece de 26 de novembro a 01 de dezembro em Salvador (Cenas do Benda Bilili, da República Democrática do Congo)

A mostra “África Hoje” exibirá 18 filmes – entre longas e médias metragens – a maioria inédito no circuito comercial. Os documentários abordam temas múltiplos do universo dos países africanos, alguns muito próximos da realidade brasileira, despertando uma reflexão sobre as diversas maneiras de lidar com questões complexas.

Entre eles, está o filme de abertura “Rouge Parole” (Tunísia/ 2011), um dos principais relatos sobre a Revolução da Tunísia, eleito um dos 12 melhores documentários de 2012 pelo MOMA (Museu de Arte Moderna de NY).

Outro destaque da mostra é o filme “Onde a Água Encontra o Céu” (Reino Unido/2008). Narrado pelo vencedor do Oscar, Morgan Freeman, e escrito por Jordan Roberts (Marcha dos Pinguins), o longa conta a inspiradora história de um grupo de mulheres em uma região remota do norte da Zâmbia que alcançam o inimaginável: aprender a fazer um filme como uma forma de falar sobre suas vidas, levantando uma questão que ninguém vai discutir – a situação das mulheres jovens órfãs devido à AIDS.

A Copa do Mundo também é um dos temas no “África Hoje” com o documentário “Fahrenheit 2010” (África do Sul – 2009). O filme mostra uma investigação do que realmente significou para os sul-africanos os jogos mundiais no país. Quem realmente se beneficiou dos milhões de dólares investidos? E o que aconteceu com a África do Sul depois de ficar com o troféu; os aplausos morreram?

Uma África Rica através do seu povo e de sua cultura pode ser vista em documentários como “A Espera dos Homens” (Senegal, 2007), enquanto pintam suas casas um grupo de mulheres fala das suas relações com os homens de uma forma muito aberta. Já em “Benda Bilili” (República Democrática do Congo/ 2010) um grupo de músicos portadores de deficiência física resultante de poliomielite que conquistou o mundo, é retratado.

A programação oferece uma ampla amostragem do que de melhor foi produzido nos últimos anos, com uma inteligente e sensível escolha de filmes que abordam temas e situações emblemáticas de diversos países.

Sobre a curadora

Luciana Hees envolveu-se com o cinema documentário em 2005, quando foi convidada a desenvolver a imagem para a primeira edição do Dockanema. Em 2010, realizou o seu primeiro curta “O Salão Azul”, selecionado para o International Film Festival of Rotterdam – IFFR e para o Images Festival of Toronto. No Brasil criou e ilustrou inúmeras capas de livros e ficou classificada na VI Bienal Brasileira de Design (2002), em São Paulo. Em 2010, fez sua primeira exposição individual no Centro Cultural Franco-Moçambicano.

Luciana viveu 10 anos em Moambique e hoje vive na cidade do Porto, em Portugal.

P R O G R A MA Ç Ã O

Dia 26/11 – terça-feira

17h – A Casa da Mãe, África do Sul, 2007, 76′
18h30 – Rouge Parole, Tunísia, 2011, 94′
20h – Abertura / Debate
Convidados: Mahomed Bamba e Marco Abujamra

Dia 27/11 – quarta-feira

17h – De Corpo e Alma, Moçambique, 2007, 53′
18h – Na Espera dos Homens, Senegal, Bélgica, 2007, 56′
19h – Tarrafal: Memórias do Campo da Morte Lenta, Portugal, 2011, 91′

Dia 28/11 – quinta-feira

17h – Saudades a Dakar, Senegal, 2005, 52′
18h – A Ópera de Mascarenhas (An Opera from the Indian Ocean), França, Madagascar, Bélgica, 2012, 96′
19h30 – Perguntas a Terra Natal, Senegal, 2007, 52′

Dia 29/11 – sexta-feira

17h – As Duas Faces da Guerra, Guiné Bissau, Cabo Verde, Portugal, 2007, 100′
19h – Onde a água encontra o céu (Where the water meets the Sky), Reino Unido, 2008, 60′
20h – A Virgem, os cristãos e eu (La Vierge, les coptes et moi), Egito, 2011, 85′

Dia 30/11 – sábado

15h – Fahrenheit 2010, África do Sul, 2009, 52′ (Foto)
16h – Lobolo, O Preço da Noiva, Moçambique, 2010, 35′
16h30 – Rough Aunties, Reino Unido, 2008 104′
18h30 – Debate
Convidados: Ney Marinho e Fernanda Marinho

 

 

 

 

 

 

 

Dia 01/12 – domingo

15h – Outra História da França, França, 2006, 93’

16h30 – Ceuta, Prisão pelo mar (Ceuta, Prison my the Sea), França, 2012, 96’

18h – Benda Bilili, República Democrática do Congo, 2010, 85’

19h30 – O dia que eu nunca esquecerei (The Day i Will never forget), Reino Unido, 2002, 92’


Veja a sinopse das 14 exibições que ainda acontecerão na Mostra “África Hoje”

Rouge Parole (Filme de Abertura)
Tunísia – 2011
Direção: Elyes Baccar
94 min

Depois de 20 anos de silêncio os tunisianos se expressam. O realizador segue os passos da aprendizagem da democracia numa sociedade multicolorida onde artistas, desempregados e cidadãos exploram o direito à expressão.

Eleito um dos 12 melhores documentários de 2012 pelo MOMA (Museu de Arte Moderna de NY).

Lobolo, O preço da noiva
Moçambique – 2010
Direção: Irene Norgaard
35 min

A cerimônia do lobolo é uma das tradições mais fortes encontradas no sul de Moçambique, na qual o noivo deve pagar uma quantia em dinheiro para poder levar a noiva para a sua casa. Hoje em dia a tradição possui muitas facetas.
O lobolo pode ser desde uma simples festa de casamento para unir as duas famílias até uma ferramenta para ostentar e demonstrar que o marido ainda detém o poder na casa, e que a mulher deve se sujeitar a ele e ser vítima da sua violência. O filme apresenta o desenvolvimento da tradição e a sua influência na vida das mulheres e na sociedade em geral.

Rough Aunties
Reino Unido – 2008
Direção: Kim Longinotto
104 min

Um grupo notável de mulheres inabaláveis em sua posição para proteger e cuidar das crianças maltratadas, negligenciadas e esquecidas da cidade de Durban, África do Sul. O documentário trava uma batalha diária contra a corrupção sistêmica e a ganância, para ajudar os mais vulneráveis ​​e marginalizados de suas comunidades. Nem divisões políticas, nem sociais ou raciais têm chance contra a força unida das mulheres. O longa retrata a mudança da África, uma nação q sendo transformada com esperança e energia para uma nova democracia.

O dia que eu nunca esquecerei (The Day I Will Never Forget)
Reino Unido – 2002
Direção: Kim Longinotto
92 min

Um documentário emocionante pela cineasta Kim Longinotto, que examina a prática da mutilação genital feminina no Quênia e as mulheres pioneiras africanas que estão bravamente revertendo a tradição. Nesta obra épica, as mulheres falam abertamente sobre a prática e explicam a sua importância cultural na sociedade queniana. Através de depoimentos emocionantes, mulheres jovens compartilham as consequências dolorosas e relatam que idosas matriarcas estão por trás da prática. Longinotto retrata a polêmica atual e os conflitos que permitiram este procedimento estar presente até os tempos modernos.

Tarrafal: Memórias do Campo da Morte Lenta
Portugal – 2010
Direção: Diana Andringa
91 min

Filmado durante o Simpósio Internacional sobre o Campo de Concentração do Tarrafal, que reuniu na Ilha de Santiago, Cabo Verde, muitos dos que por ali passaram – antifascistas portugueses (1936-1954) e nacionalistas de Angola, Guiné-Bissau e Cabo Verde (1962-1974). O documentário recolhe as memórias do português Edmundo Pedro, um dos dois únicos sobreviventes do primeiro período do campo, e de angolanos, guineenses e cabo-verdianos que ali foram encarcerados na sequência do desencadear da luta de libertação nas colônias. Os relatos, na primeira pessoa, revelam-nos a extrema dureza desse “campo da morte lenta”, criado à imagem dos campos de concentração nazis, mas também o modo como os prisioneiros conseguiram organizar-se para resistir e para, apoiados apenas na força dos seus ideais, ali reinventar a vida, até a Libertação.

Na Espera dos Homens
Senegal / Bélgica – 2007
Katy Lena Ndiaye
56 min

Em Hassania, no abrigo de Oualata, uma cidade vermelha na fronteira distante do deserto de Saara, três mulheres praticam pintura tradicional decorando as paredes da cidade. Em uma sociedade dominada pela tradição, pela religião e pelos homens, estas mulheres expressam-se livremente, discutindo o relacionamento entre homens e mulheres.

Ceuta, prisão pelo mar (Ceuta, Prison by the Sea)
França – 2012
Direção: Jonathan Millet & Loïc H. Rechi
96 min

O longa conta os caminhos de cinco migrantes no enclave espanhol de Ceuta, no Norte de Marrocos. Eles deixaram tudo o que tinham para tentar a sorte na Europa apenas para encontrar-se presos em uma prisão a céu aberto, às portas da Europa. Tiveram que lidar tanto com a esperança de obter um passe como com o medo de serem deportado para seus países. O filme é realizado com uma proximidade total dos protagonistas – sem voz off, nem entrevistas que enfrentam as câmeras – em imersão em suas vidas diárias.

As Duas Faces da Guerra
Guiné Bissau , Cabo Verde e Portugal – 2007
Direção: Diana Andringa e Flora Gomes
100 min

Considerado luta de libertação para uns, guerra da África para outros, o conflito que, entre 1963, opôs o PAIGC – Partido Africano para a Independência da Guiné e Cabo Verde às tropas portuguesas é visto, sob perspectivas diferentes, por guineenses e portugueses. Mas não são essas únicas “duas faces” dessa guerra: mais curioso é que pra lá do conflito, houve sempre cumplicidade: “Não fazemos a guerra contra o povo português, mas contra o colonialismo”, disse Amilcar Cabral, e a verdade é que muitos portugueses estavam ao lado do PAIGC. Não por acaso, foi na Guiné que cresceu o Movimento dos Capitães que levaria ao “25 de abril”. De novo, duas faces: a guerra termina com uma dupla vitória: para Guiné, a independência; para Portugal, a democracia.

De Corpo e Alma
Moçambique – 2007
Direção: Mattheiu Bron
53 min

Victória, Mariana e Vasco são três jovens Moçambicanos com deficiências físicas que vivem no subúrbio da capital de Moçambique, Maputo.
Victória transmite a autoestima que recebeu da sua educação a outras mulheres com deficiência, organizando um desfile de moda; Mariana usa da sua energia para criar amizades e ultrapassar as barreiras arquitetônicas urbanas; e Vasco faz negócio no setor informal, consertando sapatos.
Revelando os seus desafios físicos e emocionais, o filme coloca questões universais sobre a aceitação de si próprio e sobre como encontrar seu lugar na sociedade.

Onde a água encontra o céu (Where the water meets the sky)
Reino Unido – 2008
Direção: David Eberts
60 min

Narrado pelo vencedor do Oscar, Morgan Freeman, e escrito por Jordan Roberts (Marcha dos Pinguins), o filme conta a inspiradora história de um grupo de mulheres em uma região remota do norte da Zâmbia que alcançam o inimaginável: aprender a fazer um filme como uma forma de falar sobre suas vidas, levantando uma questão que ninguém vai discutir – a situação das mulheres jovens órfãs devido à AIDS.

Fahrenheit 2010
África do Sul – 2009
Direção: Craig Turner
52 min

Esta investigação intransigente pergunta o que a Copa do Mundo realmente significa para os sul-africanos. Quem realmente se beneficia dos milhões de dólares investidos? E o que acontece com a África do Sul depois de ficar com o troféu; os aplausos morrem?
“A Copa do Mundo de 2010 será realizada na África do Sul!” – O anúncio foi recebido com ensurdecedor ribombar de aplausos. Promessas foram feitas de que “as pessoas colheriam os frutos”. E a máquina de publicidade funcionou a todo vapor. “A Fifa espera fazer $25 bilhões dos direitos televisivos sozinha.” Espaço publicitário foi vendido para VISA, Budweiser, Telkom e muitos outros… E gigantes elefantes brancos brotaram por toda África do Sul. “Um mundo cheio de ganância, egoísmo e auto-promoção”, tinha chegado.

A virgem, os cristãos e eu (La Vierge, les coptes et moi)
Egito – 2011
Direção: Namir Abdel Messeh
85 min
Namir é um cineasta francês de origem egípcia. Um dia ele vê um vídeo da aparição da Virgem Maria no Egito com sua mãe que, como milhões de cristãos, veem a Virgem na tela, enquanto ele não vê nada. Cético sobre a fita de vídeo, Namir viaja de volta para o Egito, para fazer um filme sobre a ocorrência bizarra dessas aparições.

A Casa da Mãe
África do Sul – 2007
Direção: François Verster
76 min

A Casa da Mãe é o registro de quatro anos na vida de Miché, uma adolescente bonita, precoce e cheia de conflitos crescendo em meio às mulheres da África do Sul no post-Apartheid. Vivendo com a mãe e a avó em Bonteheuwel, um bairro pobre na periferia de Cape Town, ela enfrenta não somente os problemas da comunidade como o gangsterismo e o uso de drogas, mas também o insuportável e aprisionante ciclo de violência emocional e física da sua própria família. Com uma intimidade impressionante, este filme mostra três gerações de mulheres que se esforçam para desatar os nós e encontrar paz e amor em meio a toda a dor e raiva dentro das suas comunidades e de si mesmas.

Uma Outra História da França
França, 2006
Direção: Dominique Barouch
93 min

Nem um documentário clássico, nem uma ficção, este filme propõe um modo original de contar a história. Organiza uma viagem através do tempo graças ao diálogo que se estabelece entre marmailles e gramounes (os Velhos, em crioulo). Na Ilha da Reunião o clima é rude, como o passado das pessoas. Os povos foram arrancados da Europa, da África, da Ásia, em condições quase sempre trágicas, para serem transplantados sobre esta ilha vulcânica a milhares de quilômetros dos continentes. Lá, inundações e ciclones pouco a pouco apagaram suas histórias, e o vulcão forjou um destino comum. Para compreender o equilíbrio desta ilha tão diversa e tão unida, é preciso pesquisar as memórias ainda vivas.

Serviço
2° edição da Mostra ÁFRICA HOJE em Salvador
Quando: 26/11 a 01/12 em Salvador
Onde: CAIXA CULTURAL SALVADOR (Rua Carlos Gomes, 57, Centro – Salão Nobre (71) 3421-4200)
Entrada Gratuita