Arquivo da categoria: Dezembro de 2013

17/12 às 18h – Manifestação ” A favor do PLC 122″ em SP, Praça da Sé

 

Manifesto pela aprovação do Projeto de Lei Complementar 122

Desde 2006, após aprovado na Câmara dos Deputados, o Projeto de Lei Complementar 122 que altera a lei de Discriminação Racial, Lei 7716 de 1989, tem tramitado no Senado e sofrido significativas alterações. Sofrendo diversas protelações, o Projeto saiu da Comissão de Direitos Humanos desta casa e seguiu para a Comissão de Assuntos Sociais, tendo, no teor do texto, diversas alterações até chegar ao que se tem hoje na Comissão de Direitos Humanos.

Atualmente, tendo como relator o Senador Paulo Paim (PT-RS), o PLC 122 sofreu mais algumas alterações para tentar contemplar a bancada fundamentalista cristã, principal articuladora para emperrar e impedir a aprovação do projeto. Contudo, cada vez mais fica evidente a impossibilidade de diálogo com estes que jamais se dispuseram ao diálogo e que, pelo contrário, sempre impediram que os Direitos Humanos fossem garantidos para a população LGBT. Enquanto, parlamentares fundamentalistas protelam e emperram a aprovação do projeto, centenas de LGBT são mortos anualmente por conta da orientação sexual e identidade de gênero.

Embora a cultura de criminalização e a justiça penal tem sido a grande violadora dos Direitos Humanos, o fato de, nessa cultura, não haver nenhuma lei que puna os crimes por homofobia motivam que tais violências continuam a ocorrer e, quando denunciadas, são arquivadas por entenderem como briga de rua ou por falta de vontade da justiça de apurar os crimes. A falta de uma legislação penal específica faz com que agressores e assassinos de LGBT pratiquem tais violências impunemente.

Por este motivo, todas as pessoas comprometidas com os Direitos Humanos precisam entender a importância da aprovação do PLC 122, assim como a Lei Maria da Penha. Devemos lembrar, sobretudo com as jornadas de junho, que Direitos Humanos se conquista nas ruas.

Por isso conclamamos todas e todos militantes dos Direitos Humanos a participarem do ato no dia 17 de dezembro em frente à Catedral da Sé, na Praça da Sé às 18 horas. É mais que urgente, para nós militantes LGBT que diariamente contamos nossos mortos, irmos às ruas e exigir um basta a essa cultura de violência homofóbica.

 

https://www.facebook.com/events/734219029922447/?previousaction=join&source=1

14/12 – Encontro de Ativistas Anti-Racistas “Prof. Clóvis Moura” (SP/SP)

Dia 14 de dezembro, às 9h, ativistas anti-racistas fazem um encontro para discutir o genocídio da população negra em suas várias manifestações. O evento, promovido e apoiado por membros do  Celacc (Centro de Estudos Latino Americanos sobre Cultura e Comunicação), Círculo Palmarino e Instituto Luiz Gama será também uma homenagem ao sociólogo Clóvis Moura, um dos maiores estudiosos das relações raciais no Brasil, morto há dez anos.

O evento será organizado na forma de “roda de conversa”. Serão dez ou onze temas que serão debatidos a partir de intervenções especiais de especialistas convidados. Os temas que serão discutidos são conjuntura nacional, histórico da luta contra o genocídio, intolerância religiosa, a lei 10639/03 (que torna obrigatório o ensino de História da África e cultura afrobrasileira no ensino básico), a luta pelas cotas nas universidades estaduais paulistas, violência social, violência contra a mulher negra, saúde, extermínio da juventude negra e repressão aos grupos culturais de periferia.

Até o momento, estão confirmados para estas intervenções especiais Juarez Tadeu de Paula Xavier (professor da Unesp), Patrícia Alves Matos (mestranda da Unesp), Silvio Almeida (professor do Mackenzie e presidente do Instituto Luiz Gama), Juninho Jr (jornalista, presidente do Círculo Palmarino), Dulce (professora e médica do Centro de Saúde Escola Butantã), Douglas Belchior (professor e membro do Uneafro, colunista da revista Carta Capital), entre outros.

Os resultados deste debate serão sistematizados e publicados em uma revista que deverá sair no início do próximo ano em versões impressa e on line.

Para participar do evento, os interessados deverão fazer inscrição gratuita no site

http://www.encontroclovismoura.blogspot.com.br/. Os participantes inscritos receberão certificado de participação.

Serviço:

Encontro de Ativistas Anti-Racistas “Prof. Clóvis Moura”

Data: 14 de dezembro de 2013, sábado

Horário: 09h00 às 14h00

Local: Escola de Comunicações e Artes da Universidade de São Paulo

Auditório Paulo Emilio – 2º. Andar do prédio principal]

Av. Prof. Lúcio Martins Rodrigues, 443 – Cidade Universitária

São Paulo (SP)

Mais informações pelo telefone 99965-0004 (c/ Dennis) ou pelo email: contraogenocidio@gmail.com

05/12 – Bate Papo do PoliGen: Cu de bêbado(a) tem dono sim! (SP/SP)

Convidada: Thays Gonçalves, 20 anos, estudante de direito e iniciando na área de pesquisa sobre direitos da mulher. Trabalha com contabilidade e é jogadora ávida, pesquisando sobre feminismo nos jogos atualmente.

Se possível, confirme presença no evento pelo Facebook: https://www.facebook.com/events/241361962689917/

Local:
Escritório Piloto – sala S-33 do prédio da Engenharia Civil da USP (campus Butantã)
Quando:
quinta-feira, 5 Dezembro, 2013 – 11:00 to 13:00

05/12 – TEDWomen – 14 mulheres inspiradoras que trabalham em áreas diferentes (SP/SP)

TEDxJardins

5 de dezembro – 9 às 18 horas
Rua Prudente Correia, 199
São Paulo  
14 mulheres inspiradoras que trabalham em áreas diferentes.
 
Haverá também transmissão ao vivo do evento TEDWomen que acontece naquele dia na cidade de San Francisco. 
 
 
9h00 às 9h30 Credenciamento/Café de Boas Vindas 
 
9h30 às 11h00 Primeiro bloco local:
11h00 às 11h30 Intervalo 
 
11h30 às 13h00 Segundo bloco local: 
13h00 às 14h30 Intervalo – Almoço
 
14h30 às 16h00 Terceiro bloco local: 


16h00 às 18h00 Intervalo e transmissão do evento TEDWomen

TEDWomen
TEDWomen é um evento TED oficial que acontece na cidade de San Francisco no dia 5 de dezembro.
TEDxWomen 
No dia 5 de dezembro de 2013, organizadores de eventos TEDx do mundo inteiro sediam eventos locais em torno deste tema. 
 
Palestrantes

Adriana Bertini

Artista plástica natural de Porto Alegre, de formação autodidata e ativista desde 13 anos de idade, Adriana Bertini aborda dois temas na sua arte: A Prevenção a Aids e o Fim da Mutilação Genital Feminina.  Em 1994 começou a investigar a transformação do preservativo em obras de arte – seu trabalho foi longe nos últimos 20 anos e a levou a 4 continentes, com o reaproveitamento de preservativos que não passaram em controle de qualidade. Buscando alertar sobre os perigos do prazer de maneira bem humorada, sua obra percorreu os 4 continentes em 35 países e rendeu 15 publicações em livros reconhecidos pelas Nações Unidas.  Desde 2011 tem se dedicado trabalhado na campanha da Anistia Internacional na Europa para o Fim da Mutilação Genital Feminina através de eventos onde usa a arte e a voz para a campanha: ART + ACTIVISM = ARTIVISM.

Alessandra França

Alessandra França tem 27 anos e é Graduada em Marketing com MBA em Gestão de Pessoas e MBA em Banking. Durante 07 anos trabalhou no Projeto Pérola, organização na qual de beneficiada chegou a coordenação, cargo máximo do organograma organizacional. Em 2010, fundou o Banco Pérola, focado no fornecimento de microcrédito a pessoas de baixa renda com disposição e uma ideia de negócio na cabeça e pouco ou nenhum dinheiro na mão – um banco que não visa ao lucro, e sim ao desenvolvimento de gente empreendedora. Entre 2008 e 2009 participou do processo de formação de empreendedores de negócios sociais realizado pela Artemisia Brasil, do qual foi selecionada entre os cinco melhores empreendedores.

Anielle Guedes

Anielle Guedes se define como uma aprendente. Gestora de projetos inovadores e sustentáveis, empreendedora social, estudou Física na USP e lá cursa Economia. Atualmente dirige o NEU – Núcleo de Empreendedorismo da USP – organização de estudantes auto-gerida e com foco em formação de jovens empreendedores e fomento de ecossistema empreendedor. Atuou como tradutora voluntária e fez interface com comunidades de baixa renda no IDDS (international development design summit) em 2012, programa que trouxe engenheiros, empreendedores sociais e designers de 25 países para desenvolver com a comunidade tecnologias que melhorem a qualidade de vida, de acordo com os problemas mapeados pela própria comunidade. Participou do DreamIn, uma metodologia de consulta de sonhos para serem transformados em empreendimentos. Aprendeu design thinking com profissionais da IDEO e do MIT.

Daliani Ribeiro

Daliani Ribeiro tem 33 anos e é jornalista, autora do blog “Rindo da Vida” e ativista do conceito “faça o que for, seja quem for, mas sempre com amor”. Especializada em comunicação para massas, depois de 10 anos trabalhando em grandes empresas no setor, olhou para trás e para dentro e notou-se gorda, sozinha, endividada e infeliz. Daliani virou a página: abriu mão da carreira estável e decidiu colocar seus dons a serviço da felicidade, motivando pessoas. Esta já era a proposta de seu blog, onde publica crônicas de autoajuda desde 2008. Para isso, planejou sua empresa de treinamento motivacional. Em dezembro de 2011, um grave acidente deixou-a entre a vida e a morte e ela teve seu braço direito amputado. No meio da aparente tragédia e do caos Daliani surpreendentemente enxergou sinais de que seus desejos estavam se realizando. Hoje ela atua como palestrante motivacional abordando temas como superação e aceitação, com o intuito de provar às pessoas que a felicidade é bem mais simples do que se pensa. O título de sua principal palestra é: “Transforme Problemas em Oportunidades” – coisas de quem vive rindo da vida…

Denise Damiani

Denise Damiani, engenheira elétrica formada pela Poli – USP e com MBA de Harvard, é uma executiva com experiência Global.  Como sócia e conselheira da Accenture e Bain&Co tem mais de 25 anos de experiência em Operações e Consultoria principalmente nas áreas de Tecnologia, Telecom e Indústria Financeira.  Atua como membro ativo do IBGC – Instituto Brasileiro de Governança Corporativa).  Uma das principais líderes dos movimentos e práticas inovadoras para criar empoderamento para as mulheres crescerem em suas carreiras, faz parte do Conselho de diversas empresas buscando dar este direcionamento na criação de liderança feminina.  Baseado nas mais de 300 entrevistas e atendimentos que fez com mulheres em múltiplas culturas e situações sócio econômicas, está escrevendo um livro e tem um blog onde mostra a necessidade de criar uma rede virtuosa de ajuda para que as mulheres usufruam de seu Potencial Total. 

Estelle Rinaudo

Estelle Rinaudo é uma empreendedora franco-italiana que escolheu o Brasil para continuar desenvolvendo seus projetos.  Desenvolveu o “Amuseworld”, um universo multimídia para ajudar meninas de 6 a 12 anos a crescerem com valores fortes, descobrindo as culturas do mundo através da tecnologia e propondo heroínas inspiradoras de diferentes países. No momento Estelle e outras “geekinhas” estão trabalhando no lançamento do chapter brasileiro da ONG Girls in Tech (http://girlsintech.org), uma organização global focada na promoção, crescimento e sucesso de mulheres empreendedoras e inovadoras na área de tecnologia.  Fundada em 2007 por Adriana Gascoigne e presente em 18 países, esta rede tem como objetivo principal juntar estas mulheres e possibilitar a troca de experiência, expansão e fomento de network, unindo forças e potencializando a relevância do grupo no mundo através de eventos, parcerias, oferecendo programas e ferramentas para desenvolvimento profissional, entre outros.  Muitas destas mulheres já são empreendedoras e falta apenas acesso à tecnologia para que seus negócios se tornem globais e visíveis no cenário mundial.

Petria Chaves

Petria Chaves é jornalista. Repórter e âncora da Rádio CBN há 7 anos. Tem 31 anos e hoje apresenta três programas na CBN, entre eles o Caminhos Alternativos, que vai ao ar todo sábado em rede nacional e fala sobre sustentabilidade, medicina, qualidade de vida, saúde, economia criativa e novos caminhos para a sociedade.   Quando tinha 14 anos, caiu de pára-quedas em um centro de meditação e yoga incrustado em Nova York. Viu que era possível uma pessoa ficar uma semana inteira em silêncio e conheceu um pouco mais sobre vegetarianismo (embora na época não comesse uma folha verde sequer). Em 2005, se formou jornalista e dois nos depois, durante estágio na TV Globo em Nova York, se deparou novamente com a cultura indiana, o que fez crescer o interesse e a vontade de falar sobre maneiras diferentes de olhar e entender a vida. Ganhou diversos prêmios de jornalismo com as reportagens com temas tais como “Lixo eletrônico: o paradoxo da modernidade”, “O Condomínio Sustentável” e “Viver bem após os 40 anos”.

Rachel Reichhardt

 

Rachel Reichhardt é formada em comunicação visual na FAAP, São Paulo e credenciada como soferet stam (escriba de manuscritos sagrados do judaísmo) no Seminário rabínico latino americano de Buenos Aires, Argentina. Estudou caligrafia judaica no instituto Pardes em Jerusalém onde escreveu seu primeiro pergaminho, o “rolo de Esther” e estudou também Educação Judaica, no Melton Centre, na Universidade Hebraica de Jerusalém, em Israel. Participou do projeto da primeira Torá escrita por mulheres no mundo (www.womenstorah.com), e é a única mulher neste ofício na América latina.  Trabalhou 15 anos na Congregação Judaica do Brasil, junto ao rabino Nilton Bonder lecionando judaísmo e coordenando grupo de estudos para mulheres. Em são Paulo trabalha na Comunidade Shalom coordenando o departamento de ensino de jovens e onde leciona cursos para adultos de Torah, mística judaica e mussar (ética).

Sabrina C. Bittencourt

Sabrina C. Bittencourt, mãe de 3 filhos unschoolers, empreendedora social em série, nômade, futurista. Co-criou Escola com Asas, rede de crowdlearning livre e Bcause Lab incubadora de negócios sociais. Dirige a área internacional da FANJAC – Fundación de Apoyo a Niños y Jóvenes de Altas Capacidades. Criou a primeira rede de intercâmbio entre famílias de jovens de altas habilidades Exchangenius. Fundou a rede Mães de Primeira de empreendedorismo materno e cohousing. Co-criou Diwodreams, plataforma de crowdfundig de projetos de alto impacto e sustentabilidade. Produz programas de televisão e documentários sobre alimentação saudável de seu filho de 11 anos Biel Baum, como Arte na Cozinha, Cozinhando com as Estrelas, Cozinhando com Mães de Primeira e Buscamos o Paraíso. Criou campanhas contra a exploração sexual infantil e busca de crianças desaparecidas.  Integrante da rede Woman@theFrontier de conexão entre mulheres inovadoras. Como criadora do projeto Diwotongue Cyborg Project, será a primeira mulher cyborg do mundo com a implantação de um chip para tradução de línguas, para a comunicação sem barreiras entre as pessoas, abrindo a patente para a humanidade. Sofreu amnésia há 4 meses e “perdeu” 11 anos de memória, em processo de recuperação.

Sonia Guimarães

 

Sonia Guimarães é Professora Dra. da Divisão de Ciências Fundamentais, Física-IEFF, do Instituto Tecnológico de Aeronáutica (ITA), do Comando-Geral de Tecnologia Aeroespacial.  Primeira afro-brasileira a obter PhD em Física no Brasil, se formou na Universidade Federal de São Carlos, obteve seu mestrado em Física Aplicada pela USP- São Carlos, e seu PhD em Física da Matéria Condensada, pela University of Manchester, na Inglaterra.  Foi gerente do Projeto Sensores de Radiação Infravermelha do Instituto de Aeronáutica e Espaço produzindo dispositivos que vêem calor e são usados para defesa aérea.  É Conselheira Fundadora da ONG Afrobrás, mantenedora da Universidade Zumbi dos Palmares (que tem 84% de seus alunos negros, única da América Latina) e ainda e ensina inglês na ONG Integra São José dos Campos.

 

Sophie Deram

 

Sophie Deram, Ph.D é uma nutricionista francesa e brasileira. É Doutora pela Faculdade de Medicina da USP, especializada em obesidade infantil e transtornos alimentares. Ela é uma pesquisadora apaixonada pelo poder dos alimentos e estuda nutrigenômica: a nova ciência de como os alimentos “conversam” com os nossos genes. Também pesquisa a neurociência e o papel crucial do cérebro no equilíbrio da saúde, do peso e do comportamento alimentar.  Sophie foca seu trabalho clínico em São Paulo na terapia nutricional e na transformação do corpo pela mudança do estilo de vida sem o uso de dietas restritivas, medicamentos ou cirurgia. Sophie acredita na importância do prazer de comer e do comer consciente, sem contar calorias e sem regras rigorosas. Ela ensina a simplificar o ato de comer, usar alimentos naturais e ficar longe das dietas, pois esse é o caminho para melhorar a saúde e chegar a um peso saudável. Para ela, o comportamento é tão importante quanto o nutriente.

 

 

 

Zysman Neiman

 

 

Zysman Neiman, Doutor em Psicologia e Bacharel em Ciências Biológicas pela USP, é pesquisador e Professor Adjunto da Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP), vice-coordenador e professor no curso de Bacharelado em Ciências Ambientais e autor de diversos livros na área de Ecologia, Educação, Meio Ambiente e Sustentabilidade.  De acordo com Zysman o mundo globalizado deseja que as pessoas sejam controladas, para que se tornem consumidoras pouco reflexivas. Ao apontarmos as amarras que nos são impostas à plena vivência de nossa sexualidade, de nossos sonhos, e de nossa consciência crítica sobre o que de fato nos dá felicidade, podemos promover uma nova revolução de comportamentos, que no conjunto tornarão a sociedade mais libertária e sustentável.

 

 

O evento é pago, confira detalhes acessando: https://www.sympla.com.br/tedxjardinswomen-2013__16352

01/12 – 7ª Marcha do imigrante (SP/SP)

marcha_para_blog

Organizações de migrantes, pastorais, sindicais e culturais realizam, no dia 1º de dezembro, em São Paulo, a 7ª Marcha do Imigrante. O ato, cuja reivindicação principal é uma “nova lei de migração justa e humana, para o fim da discriminação”, começará às 9hs. A concentração será na praça da República, esquina com a rua Barão de Itapetininga.

Os organizadores exigem também uma nova anistia migratória e a emissão de documentos permanentes para cidadãos migrantes do Mercosul, de modo a fortalecer a integração entre os países do bloco. O movimento luta por uma série de reivindicações, como direito ao voto, trabalho decente, integração dos povos, cidadania universal e rejeição às deportações. Na convocação para a marcha, as organizações lembram que o Estatuto do Migrante vigente no Brasil é da época da ditadura militar (1964-1985) e que na construção de uma sociedade ética, igualitária e solidária uma mudança das políticas e atitudes sociais sobre a migração é necessária.plakat_oben

Da praça da República, a 7ª Marcha do Imigrante seguirá em direção à praça da Sé. Às 12h haverá um ato público em que será apresentado o Manifesto do Imigrante e ocorrerão depoimentos e reivindicações diversas, culminando com a participação cívica e cultural.

Veja o folheto da marcha aqui e aqui.

Ouça o hino da marcha.

Mais informações no site do Centro de Apoio ao Migrante (Cami).

Ao mesmo tempo, a capital paulista abrigará a 1ª Conferência Municipal de Políticas para Imigrantes, iniciativa da Coordenação de Políticas para Migrantes (CPMig) da Secretaria Municipal de Direitos Humanos e Cidadania (SMDHC) de São Paulo. O evento, que acontece entre os dias 29 de novembro e 1º de dezembro, abordará temas como promoção e garantia de acesso a direitos sociais e serviços públicos, promoção de trabalho decente, inclusão social e reconhecimento cultural, assim como políticas nacionais para questões relacionadas a migrações e refúgio.

Mais informações no site da Secretaria Municipal de Direitos Humanos e Cidadania de São Paulo.

conferencia_migrantes_interna

Serviço:

7ª Marcha dos Imigrantes em São Paulo
1º/12/2013 a partir das 9h
LOCAL: Praça da República, esquina com a rua Barão de Itapetininga
ORGANIZAÇÃO: Cami, EPM, Bolbra, ADRB, Western Union, SPM, Si Yo Puedo, J.S.F., Salvador Allende, Japayke, Unicamp, USP, Rede de Apoio ao Migrante – Guarulhos e São Paulo, Campeonatos de Futebol, Consulados, Acuarela Paraguaya, Artistas, Cantores/as, Organizações de imigrantes e culturais, Feiras Kantuta e Patuju, Combol.

Serviço:
1ª Conferência Municipal de Políticas para Imigrantes
29/11- 1º/12/2013

LOCAL: Centro Universitário Anhanguera: avenida Brigadeiro Luís Antonio, 871, Bela Vista
ORGANIZAÇÃO: CPMig da SMDHC
ENTRADA GRATUITA
Inscrições aqui.

03 a 08/12 – 9ª Mostra de Cinema e Religião (SP/SP)

reproduçãoreprodução

Diversas manifestações religiosas e espirituais são comumente retratadas no cinema. Para conhecer um pouco mais dessas produções da sétima arte, o CCSP e o MIS recebem, de 3 a 8 de dezembro, a 9ª edição da “Mostra Cinema e Religião”. O público pode conhecer um pouco mais dos rituais, comemorações e simbologias das mais diversas religiões do mundo com entrada Catraca Livre.

O objetivo da mostra é abordar todas as manifestações religiosas, sem preconceito ou restrições, reconhecendo o papel que cada uma delas tem como senso de pertencimento, criadora de paradigmas, ideias, crenças e valores morais.

A dica é conferir o documentário nacional ““, dirigido por Ricardo Dias. O longa retrata a relação do brasileiro com as divindades. Sem narração, o filme dá voz a várias interpretações e empregos da fé.

Você pode conferir a programação completa no site.

Fonte: Catraca Livre

10 a 28/12 – 14ª edição “Retrospectiva do Cinema Brasileiro” no CineSesc (SP/SP)

O Cine Sesc São Paulo, promove a 14ª edição “Retrospectiva do Cinema Brasileiro”.
Na mostra, que conta com 112 longas-metragens, será possível assistir aos sucessos de bilheteria, ficções, documentários e filmes infantis. Uma oportunidade ímpar para os espectadores verem e reverem a produção cinematográfica nacional lançada no último ano.
Nós, da Agenda Feminista, destacamos abaixo alguns filmes participantes da retrospectiva, como sugestão:

28/12 às 21h – Flores Raras

flores raras

(Direção Bruno Barreto. Brasil, 2013, 118’)
Com Glória Pires, Miranda Otto, Tracy Middendorf, Marcello Airoldi.
Na Nova York de 1951, Elizabeth Bishop é uma poetisa insegura e tímida que apenas se sente à vontade ao narrar seus versos para o amigo Robert Lowell. Em busca de algo que a motive, ela resolve partir para o Rio de Janeiro e passar uns dias na casa de uma colega de faculdade, Mary, que vive com a arquiteta brasileira Lota de Macedo Soares em Petrópolis. A princípio, Elizabeth e Lota não se dão bem, mas logo se apaixonam uma pela outra. É o início de um romance acompanhado bem de perto por Mary, que aceita a proposta de Lota para que adotem uma filha. O relacionamento entre as três, no entanto, será turbulento. Selecionado para o Festival de Berlim.
Ingressos:  R$ 2,00  R$ 5,00 R$ 10,00

27/12 às 15h: Fora do Figurino – As medidas do jeitinho brasileiro

fora-do-figurino

(Direção Paulo Pélico. Brasil, 2013, 73’. Documentário)
Nunca houve um levantamento antropométrico capaz de apontar as medidas brasileiras médias, ao contrário de países desenvolvidos. Diversos segmentos da indústria brasileira não têm outra opção senão empregar tabelas estrangeiras de medidas e apresentam dificuldades de adaptação com enormes prejuízos econômicos, problemas de saúde pública e mesmo de competitividade econômica para o país. As numerosas e frustradas tentativas de se resolver a questão na base do improviso levaram a resultados que ficaram entre o cômico e o constrangedor. A partir desse ponto de partido, o filme analisa o chamado “jeitinho brasileiro”, que parece nos distinguir como povo e fortalecer o orgulho nacional, mas é repetidamente apontado por nós mesmos como a causa de velhos problemas do país.
Ingressos:  R$ 2,00  R$ 5,00 R$ 10,00

26/12 às 17h: Hijab – Mulheres de véu

HIJAB 01

(Direção Paulo Halm. Brasil, 2013, 78’. Documentário)
Patrícia, Zahreen, Jamile, Maria, Jamila e Marcela são mulheres cariocas que adotaram o islamismo como religião e passaram a usar o hijab, tradicional véu que cobre os cabelos das mulheres muçulmanas. Entre as seis mulheres, só uma é descendente de palestinos e, como tal, apresenta um background propício ao islamismo. As demais aproximaram-se da mesquita por razões diversas: um curso de árabe, um interesse pela cultura dos países islâmicos, etc. Em alguns casos, isso as levou a enfrentar a oposição da família, que professava outra fé ou nenhuma. O filme dialoga com essas mulheres e mostra as consequências dessa opção religiosa na relação com suas famílias, na escola, no trabalho, num momento em que o preconceito contra os muçulmanos é crescente.

Ingressos:  R$ 2,00  R$ 5,00 R$ 10,00

23/12 às 17: Raça

Raca Miuda

(Direção Joel Zito Araújo e Megan Mylan. Brasil, 2012, 106’. Documentário)
O filme conta a história de três pessoas na linha de frente da batalha contemporânea pela igualdade, em um país que se orgulha de ser exemplo de democracia racial. Entre eles, o esforço do Senador Paulo Paim para sancionar a lei do Estatuto da Igualdade Racial no Congresso Nacional, em Brasília. Ele é autor do projeto original, que demorou quase uma década para ser aprovado. O documentário também apresenta a luta de Miúda dos Santos – neta de africanos escravizados e ativista quilombola – pela posse das terras e pelo respeito às tradições ancestrais da Comunidade Quilombola de Linharinho, no Espírito Santo. E Netinho de Paula – cantor, apresentador e empresário – durante todo o processo de criação e tentativa de consolidação de um canal de televisão formado majoritariamente por profissionais negros.

Ingressos:  R$ 2,00  R$ 5,00 R$ 10,00

22/12 às 21: Elena

elena

(Direção Petra Costa. Brasil, 2012, 80’. Documentário)
Elena viaja para Nova York com o mesmo sonho da mãe: ser atriz de cinema. Deixa para trás uma infância passada na clandestinidade dos anos de ditadura militar e deixa Petra, a irmã de 7 anos. Duas décadas mais tarde, Petra também se torna atriz e embarca para Nova York em busca de Elena. Tem apenas pistas: filmes caseiros, recortes de jornal, diários e cartas. A todo momento Petra espera encontrar Elena caminhando pelas ruas com uma blusa de seda. Pega o trem que Elena pegou, bate na porta de seus amigos, percorre seus caminhos e acaba descobrindo Elena em um lugar inesperado. Aos poucos, os traços das duas irmãs se confundem, já não se sabe quem é uma, quem é a outra. A mãe pressente. Petra decifra. Agora que finalmente encontrou Elena, Petra precisa deixá-la partir.

Ingressos:  R$ 2,00  R$ 5,00 R$ 10,00

21/12 às 17h: O Renascimento do Parto

o-Renascimento parto

(Direção Eduardo Chauvet. Brasil, 2013, 91’. Documentário)
Um retrato da grave realidade obstétrica mundial e sobretudo brasileira, que se caracteriza por um número alarmante de cesarianas ou de partos com intervenções traumáticas e desnecessárias, em contraponto com o que é sabido e recomendado hoje pela ciência. Tal situação apresenta sérias consequências perinatais, psicológicas, sociais, antropológicas e financeiras. Através dos relatos de alguns dos maiores especialistas na área e das mais recentes descobertas científicas, questiona-se o modelo obstétrico atual, promove-se uma reflexão acerca do novo paradigma do século XXI e sobre o futuro de uma civilização nascida sem os chamados “hormônios do amor”, liberados apenas em condições específicas de trabalho de parto.

Ingressos:  R$ 2,00  R$ 5,00 R$ 10,00

20/12 às 19h: Mulheres Africanas –
A Rede invisível

Mulheres-Africanas-9

(Direção Carlos Nascimbeni. Brasil, 2012, 80’. Documentário)
Projetadas mundialmente e participantes dos principais núcleos de discussão e decisão em seus países e também em organismos internacionais, cinco mulheres são mostradas como sustentáculo da organização política, econômica, comunitária e cultural africana por meio da narrativa da atriz Zezé Motta. A moçambicana Graça Machel, ativista política e esposa de Nelson Mandela, a liberiana Leymah Gbowee, vencedora do Prêmio Nobel da Paz em 2011, a tanzaniana Mama Sara Masari, a empresária Luisa Diogo, ex-primeira-ministra de Moçambique, e a sul-africana Nadine Gordiner, vencedora do Prêmio Nobel de Literatura em 1991, contam suas histórias comoventes e envolvem o espectador em uma profunda reflexão da vida e da atuação da mulher no continente.

Ingressos:  R$ 2,00  R$ 5,00 R$ 10,00

17/12 às 21h: Kátiakatia goo3

(Direção Karla Holanda. Brasil, 2012, 74’. Documentário)
A história da primeira transexual eleita para um cargo político no Brasil. Além de mostrar como José se transformou em Kátia Tapety, o filme nos apresenta a trajetória política da travesti piauiense que lidou com o preconceito do pai na infância, mas hoje é respeitada em seu município, localizado numa das regiões mais religiosas e conservadoras do estado. Ela foi a vereadora mais votada de seu município por três vezes consecutivas e chegou à vice-prefeitura da cidade de Colônia do Piauí, entre 2004 e 2008. Além disso, foi casada por mais de 20 anos com um homem e é mãe de três filhos. A equipe acompanhou Kátia em sua rotina pessoal e de trabalho durante 20 dias. O filme participou da competição de documentários do Festival de Brasília.

Ingressos:  R$ 2,00  R$ 5,00 R$ 10,00

17/12 às 17h: Meu Amigo Claudia MEU-AMIGO-CLAUDIA 02

(Direção Dácio Pinheiro. Brasil, 2012. 85’. Documentário)
O documentário traça a trajetória da ativista, atriz, cantora e travesti Claudia Wonder, grande agitadora cultural da cidade de São Paulo. Através de depoimentos e material de época acompanhamos a trajetória de Claudia e, em paralelo, a história do país nos últimos 30 anos. O filme apresenta uma série de relatos de personagens marcantes, como Zé Celso Martinez Corrêa.

Ingressos:  R$ 2,00  R$ 5,00 R$ 10,00

15/12 às 15h: Clementina de Jesus – Rainha QueléCLEMENTINA-DE-JESUS 01

(Direção Werinton Kermes. Brasil, 2012, 56’. Documentário)
Documentário com material de arquivo e depoimentos ,  sobre a cantora Clementina de Jesus que dividiu o palco com Cartola, Paulinho da Viola, João Bosco, Alceu Valença, Pixinguinha e muitos outros. Neta de escravos, trabalhou por 20 anos como empregada doméstica e foi descoberta pelo poeta Herminio Bello de Carvalho, iniciando sua carreira artística aos 63 anos. Muito apreciada pelos artistas e a crítica, não foi -injustamente – grande sucesso em vendas de discos, mas um talento inconfundível.

Ingressos:  R$ 2,00  R$ 5,00 R$ 10,00

17/12 às 17h: Rânia

rania

(Direção Roberta Marques. Brasil, 2012, 85’)
Com Graziela Felix, Nataly Rocha, Mariana Lima, Paulo José.
Rânia é uma menina que vive em Fortaleza, no morro Santa Terezinha. Ela ajuda sua mãe com os afazeres domésticos, estuda numa escola municipal, trabalha numa barraca no Mucuripe e sonha em ser bailarina. Sua amiga inseparável, Zizi, a introduz no Sereia da Noite, local de boemia, onde a dança, a orgia e o dinheiro se combinam, confundem e agitam a madrugada. Quando conhece a coreógrafa Estela, Rânia se vê dividida entre a farra e a disciplina da dança, entre a facilidade de ganhar dinheiro na noite e o sonho de dançar e ser artista. Ela vai seguindo seus próprios passos dia após dia, vivenciando um acúmulo de interferências, misturas e possibilidades.

Ingressos:  R$ 2,00  R$ 5,00 R$ 10,00

14/12 às 21h: O Som ao Redor O-SOM-AO-REDOR-!

(Direção Kleber Mendonça Filho. Brasil, 2012, 131’)
Com Gustavo Jahn, Irandhir Santos, Maeve Jinkings, W.J. Solha.
O filme faz o retrato da vida numa rua de classe média da zona sul do Recife.  Bia, casada e mãe de duas crianças, precisa achar uma maneira de lidar com os latidos constantes do cão de seu vizinho. João, um corretor de imóveis, começa um namoro com Sofia, que já morou naquela mesma rua quando criança. Ele é neto de Francisco, dono de vários dos prédios da região e também de fazendas no interior do estado. As coisas tomam um rumo inesperado com a chegada de Clodoaldo e sua equipe, uma milícia que oferece a paz de espírito da segurança particular. A presença desses homens traz tranquilidade para alguns e tensão para outros. Melhor filme no Festival do Rio 2012 e melhor direção, som e filme pela crítica e pelo público no Festival de Gramado 2012.

Ingressos:  R$ 2,00  R$ 5,00 R$ 10,00

14/12 às 17h: As Hiper Mulheres

as-hipermulheres

(Direção Carlos Fausto, Leonardo Sette e Takumã Kuikuro. Brasil, 2011, 80’. Documentário)
Temendo a morte da esposa idosa, um velho índio pede que seu sobrinho realize o Jamurikumalu, o maior ritual feminino do Alto Xingu, no Mato Grosso, para que ela possa cantar uma última vez. As mulheres do grupo começam os ensaios, enquanto a única cantora que de fato sabe todas as músicas se encontra gravemente doente. Documentário etnográfico sobre uma tribo indígena que parece viver numa época diferente da atual, é todo falado em dialeto local. Vencedor do Grande Prêmio do Júri e do Kikito de melhor montagem no Festival de Gramado.

Ingressos:  R$ 2,00  R$ 5,00 R$ 10,00

13/12 às 19h: Doméstica

DomeÌ stica -Divulgacao-Desvia-(3)
(Direção Gabriel Mascaro. Brasil,l 2012, 76’. Documentário)
Sete adolescentes assumem a missão de registrar, por uma semana, a sua empregada doméstica e entregar o material bruto para o diretor realizar um filme com essas imagens. O material foi todo captado por jovens de idades entre 15 e 17 anos, filhos dos patrões. A multiplicidade dos retratados contempla o amplo espectro social do país. Vemos desde uma tradicional família de classe média alta até a empregada de uma empregada, moradora de uma favela. Vemos também o raríssimo caso de um homem que assumiu sem pudores a tarefa de empregado doméstico. Entre o choque de intimidade, as relações de poder e a performance do cotidiano, o filme lança um olhar sobre o trabalho doméstico no ambiente familiar, transformando-se em um ensaio sobre afeto e trabalho.
Ingressos:  R$ 2,00  R$ 5,00 R$ 10,00

11/12 às 19h: Colegascolegas

(Direção Marcelo Galvão. Brasil, Argentina, 2012, 99’)
Com Ariel Goldenberg, Rita Pokk, Breno Viola , Lima Duarte e outros.
Stalone, Aninha e Márcio são três jovens com síndrome de Down que se comunicam basicamente através de frases célebres do cinema. O código é resultado dos anos em que trabalharam na videoteca do Instituto Madre Tereza, local onde vivem. Um dia, inspirados pelo filme Thelma & Louise, o trio resolve fugir no carro velho do jardineiro em busca de seus sonhos: Stalone quer ver o mar, Márcio quer voar e Aninha busca um marido para se casar. Eles partem do interior de São Paulo rumo à Buenos Aires. Nessa viagem, enquanto experimentam o sabor da liberdade, envolvem-se em inúmeras aventuras e confusões como se a vida não passasse de uma eterna brincadeira. Melhor filme no Festival de Gramado 2012.

Ingressos:  R$ 2,00  R$ 5,00 R$ 10,00

11/12 às 17h: Segredos da Tribo

segredos-da-tribo

(Direção José Padilha. Brasil, 2012, 110’. Documentário)
O filme relata os primeiros estudos feitos por antropólogos com os índios ianomâmis, na parte venezuelana da Floresta Amazônica. Em 1960, estes pesquisadores teriam sido responsáveis por uma série de abusos sexuais, assassinatos e violações médicas com a população indígena da região.

Ingressos:  R$ 2,00  R$ 5,00 R$ 10,00

10/12 às Olhe pra Mim de Novoolhe-pra-mim-de-novo

(Direção Kiko Goifman e Claudia Priscilla. Brasil, 2011, 77’. Documentário)
Syllvio Luccio atravessa os estados do Ceará, Rio Grande do Norte, Paraíba e Pernambuco. Pelo caminho, encontra uma família com doença genética, uma mãe que recorreu ao DNA para saber se seu filho – já com 33 anos – foi trocado na maternidade, uma família de albinos que vive na cidade de Missão Velha e é discriminada por sua cor etc. O ponto de partida é a pequena cidade de Pacatuba, no Ceará. Syllvio se define como alguém que “nasceu mulher, tornou-se lésbica e agora é homem”. Ele é um transexual masculino em fase de transformação no sertão brasileiro, uma região marcada pelo forte calor, pobreza e também pela cobrança de extrema virilidade do homem.

Ingressos:  R$ 2,00  R$ 5,00 R$ 10,00

10/12 às 15h: Muito Além do Peso

MUITO-ALEM-DO-PESO 01

(Direção Estela Renner. Brasil, 2012. 84’. Documentário)
Atualmente, um terço das crianças brasileiras sofre de obesidade acarretando problemas como depressão, diabetes e outras doenças. O documentário coloca a questão sem se restringir ao Brasil a partir de depoimentos de crianças  e entrevistas com pais, educadores, médicos, publicitários, governantes, alertando para a gravidade de uma situação que se agrava diariamente, num mundo cada vez mais informatizado.

Ingressos:  R$ 2,00  R$ 5,00 R$ 10,00

Todos os filmes serão exibidos no Cine Sesc, que fica localizado na R. Augusta, 2075 – Cerqueira César, São Paulo – SP, 01413-000 – (11) 3087-0500

Confira a programação completa:  http://www.sescsp.org.br/programacao/17971_RETROSPECTIVA+DO+CINEMA+BRASILEIRO#/content=programacao