Arquivo da categoria: Uncategorized

13 e 14/09 (SP)- Espetáculo “Joelma” no CCBB

foto: Alessandra Nohvais
foto: Alessandra Nohvais

 

  • CCBB
  • 75 min
  • GRATUITO
Bate papo com os artistas no dia 14/09, após o espetáculo.

Sinopse

Joelma conta a história da inadequação de uma mulher, nascida no corpo de um homem. Nos trinta anos que vive no sul do país, muda seu corpo e realiza a cirurgia de redesignação sexual, por fim retorna para Ipiaú (BA), sua cidade natal. Para além dos aspectos sobre sexualidade e gênero, a narrativa também apresenta a trajetória religiosa da personagem, que hoje, aos 69 anos vive numa casa, que é um misto de centro espiritualista e igreja. Outro elemento marcante do espetáculo é o assassinato que estabelece uma trama “policial” na história.

 

Serviço

Duração
75 minutos
Classificação etária
16 anos
Companhia
Território Sirius Teatro
Datas
13/09/14 (sab) | 20h
14/09/14 (dom) | 19h
Ingressos
Gratuitos (Retirar ingresso com 1h de antecedência)
Local
Teatro do Centro Cultural Banco do Brasil (CCBB)
Rua Álvares Penteado, 112
Centro – São Paulo
(11) 3113-3651 / (11) 3113-3649
Estação Sé (Linha 1 Azul e Linha 3 Vermelha do Metrô)

30/08 (SP)- Festival da Visibilidade Lésbica e Bissexual

https://i1.wp.com/www.andrepomba.com.br/wp-content/uploads/2014/08/1654005_799076983476298_4558032882840203796_n.jpgPara encerrar as atividades do mês da visibilidade lésbica e bissexual, convidamos todas para o Festival da Visibilidade Lésbica e Bissexual na praça do Largo do Arouche.

Sabemos que nós, lésbicas e bissexuais feministas, estamos constantemente
disputando o discurso hegemônico da política conservadora, da mídia burguesa e de ódio na rua. Não é fácil construir vidas que “escapam” das regras e imposições da heteronormatividade, e reconhecemos os desafios que enfrentamos nas nossas vidas privadas e
coletivas. Seguimos fortalecendo nossas propostas coletivas e horizontais e reforçamos o significado do mês da visibilidade lésbica e bissexual como uma oportunidade para desconstruir a categoria de “minoria”, de lutar contra a “guetização” dos nossos espaços
e a segregação das nossas vidas, e de mostrar nossa produção cultural e militante.

Somos escritoras, poetas, músicas, cantoras, artistas, militantes e sujeitos políticos do centro e da periferia. E nesse dia da Festival da Visibilidade Lésbica e Bissexual
vamos mostrar nossa música, poesia e arte.

Atrações:

– Luana Hansen Hansen
– Formiga
– DJ Gabriela Alves

Também realizaremos oficinas de rua, como stencil, cartazes e batucada feminista.

Convidem as amigas e companheiras…
todas são bem vindas!

Vamos fortalecer nossa rebeldia lés.bi!

23/08 (SP) – Bate papo sobre autoestima da mulher negra e a sua identidade

Vivemos em uma falsa democracia racial, a negação do racismo, da discriminação ou preconceito que perpetua a desigualdade que a população negra vivencia há tempos.
Se realmente houve essa tal democracia seria notável a presença de mais negros na mídia e em cargos de excelência.
E diante a essa falsa democracia, a mulher negra é a que mais sofre por ocupa subempregos e sofre na questão da estética, pois o que é imposto para nós é que o cabelo liso, a pele clara e traços finos que é considerado bonito.
O Coletivo Fayola Odara convida a todos para o nosso próximo encontro para um bate papo sobre a autoestima e identidade da mulher negra com o workshop de turbantes da Boutique de Krioula e dicas de maquiagem para pele negra com Daniela da Mata.
Teremos sorteios de brindes, não fique de fora!
Para aqueles que utilizarão o transporte público, na estação de Guaianazes há uma lotação chamada Jd. Fanganielo 3006/10 que deixará uma rua atrás do CEU.

Arte do flyer: Zezé Olukemi

Sábado, 23 de agosto às 10:00 em UTC-03
Daqui a 2 dias · 28 °C/14 °C Aberto
CEU Lajeado
Rua Manoel Da Mota Coutinho 293, 08451-420 São Paulo

24/08 (SP) – Espaço para abortar (com Mujeres Creando, da Bolívia)

MUJERES CREANDO é uma coletiva autônoma e feminista que surgiu na Bolívia em 1993, num contexto de consolidação da política neoliberal, onde as organizações sociais históricas estavam de alguma maneira derrotadas. O grupo nasce questionando o papel da esquerda, das mulheres na esquerda e o lugar que esse neoliberalismo as colocou.

Produzem filmes, grafites, zines e tocam uma rádio pirata, a Rádio Desco. Pensam na criatividade como instrumento de luta.

Posto isso, ESPAÇO PARA ABORTAR é uma instalação que fará parte da 31ª Bienal de Artes de SP (6 set – 7 dez) e contará com uma performance pública e participativa contra a ditadura do patriarcado sobre o corpo da mulher. Pretende desdramatizar o discurso religioso e oficial, entender questões sobre a descriminalização do aborto e conversar sobre isso em primeira pessoa, de mulheres para outras mulheres.

Convidamos a todes para partilhar dessa conversa sobre arte, feminismo, aborto e libertação da mulher. Vem!

Domingo, 24 de agosto, 20h
Na Casa Mafalda – Rua Clélia, 1895, Lapa.

(Teremos venda de comidinhas veganas feitas pela Cozinhar.te Libertária!)

Domingo às 20:00
Daqui a 3 dias · 29 °C/14 °C Aberto
Casa Mafalda
Rua Clélia, 1895, 05042-001 São Paulo

 

27/05 (SP) – Seminário – A Política de Atenção Integral à Saúde da Mulher

Secretaria Municipal de Políticas para as Mulheres e Secretaria Municipal de Saúde

Em atenção ao Dia Internacional de Saúde da Mulher e pela redução da mortalidade materna –  convidam para debater:  

A Política de Atenção Integral à Saúde da Mulher: balanço e desafios –  30 anos de PAISM

Nelson Theófilo Hartmann

 

Data:  dia 27 de Maio de 2014

Local: Auditório da Aliança Francesa

Rua General Jardim, nº 185 – Horário: das 08 às 18 horas

Inscrições SMPM – smpm@prefeitura.sp.gov.br

 Mais informações: 3113-9767

 

 8:00 – Coffee break

8:30 – Abertura

José de Fillipi Jr – Secretário de Saúde

Denise Motta Dau – Secretária de Políticas para as Mulheres

Dra Maria Ester de Albuquerque – Representante da área Técnica de Saúde da Mulher do Ministério da Saúde

9:00  –  Mesa – A pesquisa Mulher Brasileira e Gênero no Espaço Público Privado

Coordenadora – Dra Ana Lúcia Cavalcanti – Assessoria de Ações Temáticas da Secretaria de Políticas para as Mulheres

  • Mulher Brasileira e Gênero no Espaço Público e Privado

      Vilma Luiza Bokani – Núcleo de Opinião Pública da Fundação Perseu Abramo, Coordenação da pesquisa FPA/SESC

  • Direitos sexuais e Reprodutivos e Violência Obstétrica
  • Debatedora:

      Dra Simone Diniz – Departamento de Saúde Materno Infantil da   Faculdade de Saúde Pública USP

  • Debate

10:00 -Mortalidade Materna: desafios e perspectivas

Coordenadora : Dra. Cecilia Tomiko Nobumoto – Coordenadora da Área Técnica da Saúde da Mulher – Secretaria Municipal de Saúde da Cidade de São Paulo

  • Redução da Mortalidade Materna: um compromisso para todos

Dr. Carlos Vegas – Área Técnica de Saúde da Mulher S.M.S.

  • Implantação dos Serviços de Assistência ao Parto Humanizado na Cidade de São Paulo

           Adalberto Kiochi – Área Técnica de Saúde da Mulher – SMS

  • A Questão do Aborto e a Saúde das Mulheres

Dr. José Henrique Torres- Juiz do Tribunal de Justiça

  • Debatedora Dra. Tânia Lago – Faculdade de medicina da Santa casa
  • Debate

Intervalo para almoço

 14:00- Mesa  – A política de Atenção à Saúde Integral  da Mulher

Coordenadora: Rita Quadros – Assessora de Participação e Controle Social da SMPM

  • A Trajetória do PAISM – Balanço de 30 anos – Resgate Histórico da Luta pelo PAISM  na Perspectiva Feminista

Sônia Coelho – Marcha Mundial de Mulheres

  • A ampliação da Política de Atenção Integral à Saúde da Mulher

      Dra Maria Ester de Albuquerque Vilela

Coordenadora Saúde da Mulher do Ministério da Saúde

  • Desafios para a Atenção à Saúde das Mulheres com Deficiências

Dra Marianne Pinotti – Secretária Municipal da Pessoa com Deficiência e Mobilidade reduzida

  • A Saúde das Mulheres do Segmento LBTT e a Política de Atenção Integral

Anna Paula Vencato – Dra. em Antropologia – Assessora LBTT da SMPM

  • Debate

 

16:00  – Mesa –  A Sexualidade no Âmbito da Atenção Integral da Saúde da Mulher:   Implicações para uma Política Pública          

Coordenadora da mesa: Anna Paula Vencato- Dra em  Antropologia -Assessora da SMPM

  • Dra. Ana Lúcia Cavalcanti                                                                                                         

Assessora de Saúde – Secretaria Municipal de Políticas para as Mulheres

  • Dulce Xavier – Secretária Adjunta da SMPM
  • Debate

 

18:00 – Encerramento

17/05 – (DF) – 5ª REUNIÃO ABERTA – Atividade de Resgate do DEBATE RACIAL

REUNIAO]

Data: 17/05
Horário: 11:00
Local: Biblioteca Nacional de Brasília

“Há alguns fins de semana temos nos unido e construído uma linha histórica sobre o debate racial dentro da Marcha das Vadias, desde a criação da Marcha até a Marcha do ano de 2013.

Foram muitos acontecimentos e muitos embates e debates nessa construção.
Nessa última reunião (a 4ª no dia 25/04) novos questionamentos e protagonismo foram encontrados e refletidos, seguimos a linha de uma recuperação histórica, uma reflexão problematizada e a busca do desconstruir para reconstruir.

Convidamos a todas (cis ou trans) que queiram se juntar a nos para essa desconstrução e reflexão sobre nossos erros e persistências para estarem presente conosco no dia 17/05 (data escolhida por questão de feriado e dia das mães) ás 11:00 na Biblioteca Nacional de Brasília na Esplanada.

Contamos com o apoio na divulgação do evento e a partipação de todas as interessadas.”

https://www.facebook.com/events/298430656978119/?ref=2&ref_dashboard_filter=upcoming&suggestsessionid=556a05f18e02e852bea64a3d62f64f8a

Página da Marcha das Vadias de Brasília: https://www.facebook.com/marchadasvadiasdf

07/05 (MT) – Ensaio Fotográfico Marcha das Vadias 2014

10269483_755104807863225_4783881112050953077_n
Quarta, 7 de maio
às 08:00
Local: Instituto de linguagens UFMT

Vadias da nossa Cuiabá, uni-vos!

No ano de 2013 nós fizemos o primeiro Ensaio Fotográfico da Marcha das Vadias de Cuiabá. Esse ano, para mostrarmos que voltamos com a mesma força, iremos realizá-lo e contamos com a participação de tod@s @s vadias interessadas. 
O ensaio será realizado nos dias 7 de maio, às 8 horas da manhã, no estúdio de fotografia do Instituto de Linguagens (IL), UFMT. 

Vamos fazer a Marcha das Vadias 2014 mais revolucionária ainda!

Evento: https://www.facebook.com/events/797673866916953/?ref=2&ref_dashboard_filter=upcoming

Página da Marcha das Vadias de Cuiabá:  https://www.facebook.com/machadasvadiascuiaba

 

Tod@s estão convidad@s para mais essa Jornada. Venham somar e junt@s denunciar e lutar contra quem nos oprime (aguardem o cronograma de todas as atividades que acontecerão durante o mês de fevereiro)!!!

Manifestação contra o fascismo, o nazismo, o racismo, a lesbofobia, a homofobia, a transfobia, o machismo e toda forma de preconceito e discriminação! A manifestação se transformou em Jornadas logo após a morte de Édson Neris da Silva, que foi brutalmente assassinado no dia 06 de fevereiro de 2000, na praça da República, centro de São Paulo, por um grupo de mais de 30 skinheads Carecas do ABC, pelo simples fato dele ser homossexual e estar de mãos dadas com o seu companheiro que conseguiu escapar em baixo de socos, coturnadas e golpes de soco inglês, tacos e facas. Promovendo mais um espancamento e morte com traumatismo craniano. Até hoje não esquecemos. estamos nas ruas para protestar e lembrar dessas e outras atrocidades cometidas por esses grupos que pregam a intolerância, o preconceito e a violência! Gritamos bem alto: Racistas, fascistas, não passarão!!!!
ANARC@PUNKS EM LUTA!
MOVIMENTO ANARC@ PUNK DE SP.

Evento no facebook: https://www.facebook.com/events/248184435358831/?ref=2&ref_dashboard_filter=upcoming

08/02 (RJ) – Sufrágio Feminino RJ – 2ª Edição

RAIOTAGË, coletivo queer feminista carioca, orgulhosamente apresenta a segunda edição do Sufrágio Feminino RJ!

O festival contará com um dia inteiro de atividades no intuito de incentivar e promover um espaço onde mulheres e trans* são protagonistas no cenário musical independente carioca.

✰ SHOWS ✰

★ Ive Seixas (Resende) ★

★ Pagufunk ★

★ Noras de Newton ★

★ Catillinárias ★

★ Trash No Star ★

E pela primeira vez na cidade do Rio (com a Helena Krausz ♥) e de quebra ainda lançando EP novo…

★ Anti-Corpos (SP) ★

Além de todas essas meninas no palco, também vão rolar duas oficinas voltadas pro público feminino:

✰ OFICINA BÁSICA DE GUITARRA ✰

Oferecida por Sara Abreu (Estamira – DF), pretende passar conhecimentos básicos para mulheres com pouco ou nenhum conhecimento de guitarra. A oficina terá início às 13:00 e será livre para todas as idades.

✰ OFICINA DE MONTAGEM DE PALCO ✰

Será realizada colaborativamente durante a montagem do som do evento com componentes das bandas a se apresentarem e integrantes da Raiotagë. Pretende passar conhecimentos básicos sobre a linguagem técnica, mapas de palco, manuseio de equipamentos, cabos e outras ferramentas básicas. A oficina é direcionada para mulheres de todas as idades. A partir das 14:00.

✰ BANQUINHA RAIOTAGË + EXPO DE ZINES ✰

Teremos uma banquinha onde venderemos bottons, camisas, cds, zines e outros materiais gráficos com arte produzida por mulheres.

Além disso, vamos estender nosso varal zineiro para a mulherada que tiver qualquer arte e estiver interessada em vender, expor ou trocar.

✰ INGRESSOS: $10 (inteira) | $5 (meia) ✰

Pra conseguir seu ingresso, entre em contato com a gente através da nossa página no link abaixo. A venda no local vai começar só na semana no evento.

Para dúvidas e maiores informações, entre em contato com a nossa página:https://www.facebook.com/coletivoraiotage

VEM RAIOTAR!

GIRLS TO THE FRONT

 

Evento no facebook: https://www.facebook.com/events/199308090267584/?previousaction=join&ref_dashboard_filter=upcoming&source=1

Local: Arena Carioca Dicró  Rio de Janeiro

16/02 (Sto André) – Cine Pedagogia Libertária – La Educacion Prohibida

A escola atual desempenha um papel importante na dominação das pessoas.
Se somos ensinadxs desde pequenxs a obedecer e não pensar, como vamos ter uma critica a isso?
Além do que, chega a ser um tipo de crueldade privar xs crianças de desenvolver seus potenciais, de sua autonomia, de uma visão de mundo que possa torna-lxs livres, ou ao menos saber que a liberdade é possivel.
Algumas pedagogias já existem e outras estão se formando com esse objetivo, e cada vez mais a importância desse tema nos faz pesquisa-lo e tentar desenvolve-lo na teoria e na pratica..

Sinopse:

La Educación Prohibida é um documentário que se propõe questionar as lógicas da escolarização moderna e a forma de entender a educação,dando visibilidade para experiências educativas diferentes, não convencionais que cultivam a necessidade de um novo paradigma educativo.

A La Educación Prohibida é um projeto realizado por jovens que partiram da visão de quem aprende e embarcaram em uma pesquisa que cobre 8 países realizando entrevistas a mais de 90 educadores de propostas educativas alternativas. O filme foi financiado coletivamente graças ao centro de coprodutores e tem licença livre que permite e encoraja sua cópia e reprodução.

A La Educación Prohibida se propõe alimentar e disparar um debate social reflexivo acerca das bases que sustentam a escola, promovendo o desenvolvimento de uma educação integral centrada no amor, no respeito, na liberdade e na aprendizagem.

A escola tem mais de 200 anos de existência e é considerada a principal forma de acesso à educação. Hoje em dia, a escola e a educação são conceitos amplamente discutidos em foros acadêmicos, políticas públicas, instituições educativas, meios de comunicação e espaços da sociedade civil. Desde sua origem, a instituição escolar tem estado caracterizada por estruturas e práticas que hoje são consideradas obsoletas e anacrônicas.Dizemos que não acompanham as necessidades do século XXI.Sua principal falência se encontra em um projeto que não considera a natureza da aprendizagem, a liberdade de compreender a importância do amor e dos vínculos humanos no desenvolvimento individual e coletivo

A partir destas reflexões críticas surgem , ao largo dos anos, propostas e práticas que pensaram e que pensam a educação de uma forma diferente. “La Educación Prohibida” é um documentário que propõe recuperar muitas delas , explorar suas ideias e visibilizar experiências que se atrevem a trocar as estruturas do modelo educacional da escola tradicional.

Mais de 90 entrevistas a educadores, acadêmicos, profissionais, autores, pais e mães envolvendo 8 países de Iberoamérica, passando por 45 experiências educativas não convencionais; mais de 25.000 seguidores nas redes sociais antes de sua estréia e um total de 704 coprodutores que participaram em seu financiamento, convertendo a La Educación Prohibida em um fenônemo único. Um projeto totalmente independente de uma magnitude inédita que dá conta da necessidade latente do crescimento e surgimento de novas formas de educação

Rua Alcides De Queirós, Santo André